Computação

 
Internet (42) +
Páginas: [<<] 1 2 3 4 5 6 7 [>>]

    • Reparticionamento livre

      Particionamento. Reparticionamento com o fdisk. Reparticionamento com o GNU Parted. Reparticionamento com o FIPS. Esta é uma das mais difíceis tarefas, que impedem e confudem vários iniciantes do Linux! Sem dúvida, esta é a etapa mais difícil de qualquer instalação, todo mundo diz que o Linux é dificil de instalar justamente por causa disto. Mas pense bem, imagine que um computador venha pronto para instalar o Linux, será difícil? Não, será que nem o Windows, e do jeito que os tipos de instalação estão ficando cada vez mais fáceis...

      (Adicionado: 2ªf Dez 04 2006 | Visitas: 148 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • APT no RedHat/Fedora

      O que é o APT?. Instalando o APT no RedHat ou Fedora. Utilizando o APT. Montando um repositório local do APT/RedHat. Criando o espelho da distribuição. Preparando o território do APT. Criando o repositório APT. Configurando os clientes para usar seu repositório. Atualizando o repositório diariamente. O APT (Advanced Package Tool, ou Ferramenta de Pacotes Avançada) é uma ferramenta que gerencia de uma maneira muito intuitiva os pacotes de programas no Linux. O APT foi originalmente criado para funcionar junto com dpkg, do Debian, mas ele foi portado pela Conectiva para funcionar com o sistema de pacotes RPM, criado pela RedHat. O APT resolve os conflitos e dependências de pacotes de uma maneira muito fácil e automática. Além disso ela é uma ótima ferramenta para a atualização do sistema através da Internet, instalação de programas adicionais, entre outros. Neste tutorial irei ensinar como instalar e usar o APT em sistemas RedHat ou Fedora, mas com algumas adaptações, os métodos descritos aqui podem ser feitos em outras distribuições que utilizam o RPM. No caso do Debian, nada precisa ser feito pois o sistema já vem com o APT por padrão.

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 162 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Como fazer VCD

      Convertendo. Dando um "unlock" nas capacidades do TMPGEnc. Usando o Wizard para criar o VCD. Criando um filme já com legendas. Queimando o VCD!. Dúvidas mais freqüentes. VCD (Abreviação para Video-CD) é um ótimo método para você colocar vídeo e áudio em CDs e poder tocar em aparelhos como DVD. Alguns tocadores de DVDs mais atuais estão suportando o formato Div-X, mas como isso não é muito comum, o pessoal ainda fica no VCD, que é suportado pela maioria dos aparelhos. Neste tutorial você vai poder aprender como fazer VCD com qualquer vídeo você tenha em Div-X. O formato de vídeo mais popular hoje em dia e que oferece mais qualidade em menor tamanho é sem dúvida o Div-X. O Div-X na verdade é uma variação (hack) do MPEG4, então ele também é da famosa família MPEG. O MPEG de maior qualidade é o MPEG2, que é a codificação de vídeo dos DVDs. O MPEG2 também é usado para criar SVCDs (Super Video-CD), mas isso já sai fora do escopo deste tutorial, apesar dos métodos serem bastante parecidos...

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 167 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Configurando o LILO

      Configurando o LILO. Seção de configuração Global. Seção de configuração de partições. Mensagens de erro do LILO. Mega-exemplo. Instalando o LILO.

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 172 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Criando um file server "transparente" no Linux

      Criando um file server "transparente" no Linux. Compilando o X-Chat. Quem acessa IRC deve saber o que é um file server. Um file server é um "programa" de IRC que fica em um certo canal, servindo arquivos livremente para as outras pessoas. No Windows isso já é uma realidade bem comum, mas no Linux é algo um pouco ainda oculto. Este tutorial ensina à qualquer usuário que tenha uma conta shell em um sistema Linux à montar seu file server, e não necessita nem de interface gráfica...

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 161 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Dispositivos e distribucoes no Linux

      O que são dispositivos?. Montando os dispositivos. Comentários das distribuições Linux. Um dispositivo é todo o componente de hardware, e do sistema operacional. Um dispositivo é "algo especial" que é compartilhado com o Kernel, ou seja, um exemplo de dispositivo são as impressoras, CD-ROMs, modems, portas, mouse, HDs, etc. No Linux, os dispositivos físicos são tratados como arquivos. Estes arquivos são um tipo especial no sistema de arquivos e se encontram no diretório /dev. Se você der um ls neste diretório, verá que existe um pouquínho de arquivos (Bota pouquinho nisso). Cada arquivo neste diretório corresponderá a um dispositivo de acordo com o seu tipo...

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 172 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Legendando vídeo

      Como sempre tem gente interessada em aprender a criar as legendas para o tanto de Animes que tem por aí, resolvi criar um tutorial para ajudar no aprendizado de quem está iniciando. O programa que usaremos aqui para criar o script das legendas é o Sub Station Alpha, que é o mais usado por todo mundo. Existem outros programas como o BakaSub (pra Linux), mas ensinarei aqui apenas como mexer com o Sub Station Alpha. Depois do script criado usaremos o VirtualDub para aplicar as legendas no vídeo e produzir o Anime traduzido. Antes de mais nada, você vai precisar destes dois programas, não? Você também precisará de um plugin adicional para aplicar o script das legendas no VirtualDub.

      (Adicionado: 2ªf Nov 27 2006 | Visitas: 172 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Algoritmos I

      O que é um algoritmo?. Como representar um algoritmo?. Qual a utilidade do algoritmo?. Analise de algoritmo. Por que estes números de execução?. Ordem de Crescimento. Notações Assintóticas.

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 158 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Algoritmos II

      Recursão. Qual o custo desse algoritmo?. Novo custo. Números de Fibonacci. Substituir um loop. Outros exemplos. Ordenação. O que é um vetor?. No que consiste a ordenação?. Por que ordenar?. Algoritmos que iremos estudar. Ordenação por Inserção. Qual a lógica?. Custo.

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 177 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Algoritmos III

      Ordenação por seleção. Funcionamento. Exemplo de Funcionamento. Custo. Mini-Poker. Objetivos. Enunciado. Comentários sobre os problemas de olimpíadas. Por onde começar?. Desenvolvimento. Programa Completo. Comentários sobre o problema.

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 161 | Colocação: 2.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Algoritmos IV

      Conclusão sobre Ordenação. Então pra que servem os outros?. E como se usa o qsort() no C?. Os grafos e o orkut. Pra quê serve o grafo?. Definições até agora. Grafos Orientados. Grau dos Vértices. Onde mais posso utilizar grafos?.

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 180 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Algoritmos V

      Representando Grafos na Programação. Cada vértice é um número. Matriz de Adjacência. Relações do nosso grafo. Simetria. Problemas da OBI. Descobrir o grau de cada vértice. Lista de Adjacência. Como implementar. Qual a representação que devo utilizar?.

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 167 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Comandos no Linux

      Comandos para manipulação de arquivos. cd - Navegando entre diretórios. ls - Listar arquivos. mkdir - Cria um diretório. rmdir - Remove um diretório vazio. cp - Cópia de arquivos e diretórios. mv - Move arquivos e diretórios. rm - Deleta arquivos e diretórios. ln - Linkando arquivos. cat - Exibe o conteúdo de um arquivo ou direciona-o para outro. mfile - Indicando tipo de arquivo. Comandos sobre processos do sistema. ps - Listando processos. kill - Matando um processo. killall - Matando processos pelo nome. w - Listas os usuários logados. Comandos de pacotes (instalação/desinstalação/consulta). O que são pacotes?. Utilizando o PKGTOOL (Slackware). Utilizando o RPM. Outros tipos de comandos. Descompactar arquivos. Compactar arquivos. Espaço em disco. Informações do sistema. Programas (console).

      (Adicionado: 3ªf Nov 07 2006 | Visitas: 173 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Cinemática de manipuladores

      Robóticos (Método SCM). Transformações homogêneas. Método SCM. Normalmente nossos estudos em robótica se iniciam pela cinemática de robôs manipuladores. Para prosseguirmos, devemos assimilar conceitos como cinemática direta, cinemática inversa, matriz jacobiana, entre outros. Entretanto, o domínio destes conceitos depende de outros dos quais o fundamental, transformações homogêneas, é totalmente dependente das convenções de Denavit e Hartenberg. Este é justamente o componente de maior complexidade para os iniciantes: - O algoritmo para a obtenção dos parâmetros DH, aliado à falta de exemplos justamente daquele modelo que queremos desvendar. Alguns autores despertam nossa curiosidade, ao comentar que poderíamos dispor os sistemas coordenados na estrutura dos robôs de uma forma totalmente aleatória. Não mostram, porém, como fazê-lo. Este texto apresenta o "método SCM" (Sistema Coordenado Móvel) como uma forma alternativa para o estudo da cinemática de um robô manipulador e também de obter os parâmetros DH. Para este fim será de fundamental importância a utilização do toolbox "Symbolic Math" do MATLAB. As ilustrações e descrições seguintes constituem apenas informações que não pretendem ser completas. A pequena revisão sobre o tema transformações homogêneas deve servir apenas para uma melhor compreensão dos termos utilizados e das idéias que originaram o "método SCM".

      (Adicionado: 3ªf Out 17 2006 | Visitas: 185 | Colocação: 9.50 | Votos: 2) Avaliar
    • Programação Genérica Aplicada a Algoritmos Geográficos

      O paradigma de orientação a objetos tem sido largamente empregado nas arquiteturas de desenvolvimento de software, incluindo a maioria das ferramentas disponíveis para o desenvolvimento de Sistemas de Informações Geográficas (GIS). Este paradigma é baseado no princípio de agrupamento de elementos similares do mundo em classes e por tornar explícitos comportamentos e propriedades comuns por meio do mecanismo de herança.

      (Adicionado: 4ªf Set 27 2006 | Visitas: 174 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
15 Anteriores Próximos 15