Educação

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ... [>>]

    • A aprendizagem e a prática avaliativa nas classes de educação de jovens e adultos da escola estadual (nuevo) 

      O presente trabalho é resultado de uma pesquisa qualitativa e bibliográfica, com o objetivo de observar a prática do processo de avaliação nas classes de educação de jovens e adultos da Escola Estadual José de Alencar, bem como propor a elaboração de uma proposta alternativa de avaliação. Os autores que fundamentaram esta pesquisa foram Benjamim Bloom, Gadotti, Luckesi, Jussara Hoffman, Tyler Halp e Cassia Ravena. Para os autores Canen (2001), Gandin (1995) e Luckesi (1996), a avaliação é um julgamento sobre uma realidade concreta ou sobre uma prática, à luz de critérios claros, estabelecidos prévia ou concomitantemente, para tomada de decisão. Desse modo, três elementos se fazem presentes no ato de avaliar: a realidade ou prática julgada, os padrões de referência, que dão origem aos critérios de julgamento, e o juízo de valor. (citado por Cassia Ravena). Os métodos teóricos utilizados foram análises, sínteses e os métodos empíricos; observação do processo e análises bibliográficas. O estudo permitiu concluir que é possível compreender a relevância da avaliação no cotidiano da sala de aula, na prática educativa.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A educaçao vista a partir do comportamentalismo e da teoria da aprendizagem social (nuevo) 

      A educação prepara o individuo para fazer frente a luta pela vida dotando de um espírito combativo. O comportamentalismo è um modelo psicológico com base epistemológica. Não è uma filosofianem uma antropologia, nem tão pouco, implicam uma concepção do homem propriamente dita. Oferece porem, uma visão do homem como ser operativo e, è suficiente para dar lugar a uma teoria de Educação. O meu trabalho tem como tema: A educação vista a partir do comportamentalismo e da teoria da aprendizagem social. Mais eucingi-me apenas nos seus 3ª,4ªe 5ª subtemas no qualdebrucei -mesobre: - Condicionamento operante comportamentalismo; - Comportamentalismo e a Educação; -A teoria da educação de Skinner.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A questão da gestão escolar e o seu impacto no P. A. (nuevo) 

      A educação é tarefa de políticos, famílias professores e alunos cada pessoa tem de assumir as suas responsabilidades, em vez de culpar osoutros pelo que corre mal. O que fazem os bons líderes educacionais? O processo docente educativo sempre foi alvo de grandes discussões e apontamentos que motivaram sua evolução em vários aspectos, principalmente no que tange a Gestão Escolar. A preocupação deste trabalho é de convergir na pessoa do director as duas qualidades: de Gestor e de Líder, como? Bem sabemos que a educação não se confunde com a escolarização, mas o trabalho em causa tem como fulcro a Gestão escolar e o seu impacto na sociedade. Neste sentido no âmbito da Gestão escolar o presente trabalho tem por objectivo estudar uma metodologia acerca da gestão escolar, visando auxiliar na forma de Liderar pessoas, de forma eficaz e eficiente. É notório que com alcance da Paz ao 4 de Abril de 2002, a República de Angola tem dado passos galopantes no que se refere à democratização das instituições públicas, neste sentido que a Educação é um vector imprescindível para a democratização da sociedade angolana se a escola enquanto instituição social for o primeiro a fazer o exercício da vivência democrática. Na concepção da educação dirigida para o futuro, o presente submetido à crítica eesta deve acelerado processo de desaparecimento de tudo que é antiquado e caduco acelerando o processo de concretização do que é novo, onde quer que este processo evolua de modo excessivamente lento, insuficiente: Tal crítica pressupõe um ideal que ultrapasse o presente, neste a educação para uma Gestão Democrática virada para acção que deve transformar a realidade social de acordo as exigências humanas. O presente trabalho estrutura-se em: Índice, Introdução, Desenvolvimento, Conclusão Sugestões e Bibliografia.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A reforma educativa desde 2002 à 2015 (nuevo) 

      O processo de reforma educativa assenta-se na lei 13/01 de 31 de Dezembro é a lei de base do sistema educativo que prevê a formação de cidadãos motivados e capazes de intervir activamente e eficientemente na realidade que os cerca. Em Angola foi implementado esta lei com o objectivo principal da melhoria da qualidade de ensino através de alterações dos programas, da qualificação de currículos de ensino, reclassificação dos agentes de educação. A nova reforma educativa implementada em Angola está acompanhada por actividades de formação contínua de professores principalmente os do ensino básico e secundário, tanto do I como do II ciclo. «A reforma educativa visa melhorar a qualidade de ensino através de uma estrutura educativa forte e de um novo projecto, baseado em instrumentos curriculares recentes», afirmou Pinda Simão que na altura era vice ministro Angolano da Educação em entrevista a Agência Lusa.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Contribuição dos pais e encarregados de educação na escola (nuevo) 

      O presente trabalho, faz uma abordagem sobre a participação dos pais e encarregados de educação no processo de ensino aprendizagem. Para que as crianças se desenvolvam na escola, os pais e encarregados de educação tem a necessidade de serem considerados membros activos da instituição. É importante o apoio dos pais e encarregados de educação no comportamento escolar dos educandos e quando tal não acontece refere a sua falta de interesse na educação dos filhos. A escola por sua vez não consegue sozinha responder as necessidades da sociedade por isso, a participação dos pais e encarregados de educação tem um papel importantíssimo para o desenvolvimento e qualidade de ensino. Nesta senda, para melhor compreender estruturarei o tema da seguinte forma:

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Diagnóstico feito na escola da IECA (nuevo) 

      O diagnóstico escolar consiste na utilização de recursos, meios e processos técnicos com o objectivo de localizar e avaliar os problemas e dificuldades dos alunos, determinando suas causas para preveni-las. Neste trabalho apresento os resultados obtidos do diagnóstico feito na escola do Iº Ciclo do Ensino Secundário da IECA para saber o índice de reprovações na cadeira de Matemática da referida escola, que tem como pontos principais: Fundamentação do diagnóstico, definição de método, planificação da aplicação do método. A situação do diagnóstico no processo educativo é porem mais complexa, uma vez que grande variedade de factores entram em jogo. Tanto no processo de aprendizagem, como na adaptação escolar e ajustamento pessoal do aluno: podemos apontar factores de ordem interna: físicos, intelectuais, emocionais. Factores externos directamente ligados ao meio ambiente escolar e extra – escolar.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Educação inclusiva (nuevo) 

      A educaçao inclusiva é uma açao educaçional humanistica,democrática,amorosa mas nao piedosa,que percebe o sujeito em sua singularidade e que tem como objectivo o crescimento ,a satisfaçao pessoal e a inserçao social de todos. O conceito da educaçao inclusiva surgiu apartir de 1994 com a declaraçao de Salamanca.A ideia é que as crianças com necessidades educativas especiais sejam incluídas em escolas de ensino regular.o objectivo da inclusao demostra uma evoluçao da cultura ocidental,defendeno que nenhuma criança deve ser separada das outras por apresentar alguma espécie de deficiençia.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Manifestações do insucesso escolar na escola do ensino especial do lubango (nuevo) 

      O drama do insucesso escolar é relativamente recente. É a partir dos anos sessenta que encontramos as suas primeiras manifestações. Foi então que se começou a exigir que as escolas, por razões económicas e igualitárias, encontrassem formas de garantir o sucesso escolar de todos os seus alunos. O que era atribuído até então ao foro individual, tornou-se subitamente um problema insuportável sob o ponto de vista social. A preguiça, a falta de capacidade ou interesse, deixaram de ser aceites como explicação para o abandono todos os anos de milhares e milhares de crianças e jovens do sistema educativo. A culpa do seu insucesso escolar passou a ser assumida como um fracasso de toda a comunidade escolar. O sistema não fora a capaz de os motivar, reter, fazer com que tivessem êxito. O desafio tornou-se tremendo, já que todos os casos individuais se transformaram em problemas sociais. A escola secundária era a menos preparada para a mudança. Durante séculos assumira como sua vocação hierarquizar os alunos de acordo com o seu rendimento escolar, seleccionando os mais aptos e excluindo os que não fossem capazes de acompanhar as exigências que ela mesma impunha. A sua nova missão era agora igualizar todos no sucesso educativo, garantindo 0% de negativas ! Este era o novo padrão que permitia aferir o sucesso de cada escola.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Modos de actuação do inspector diante de uma denuncia. Métodos e príncipios da inspecção (nuevo) 

      A qualidade do nosso ensino continua a estar no centro das preocupações das autoridades ligadas ao sector da Educação, que têm reforçado a sua área de inspecçao para detectar eventuais irregularidades e deficiências em estabelecimentos de ensino públicos e não só. Inspeção, palavra de origem Indo-Europeu que significa vigiar, mirar ou ainda constatar o desempenho de todas as actividades referentes ao Sistema de Insino. De acordo com o Ministério da Educação no Decreto-lei n.º 7/03 de 17 de Junho Diário da República, I Série nº4717.06.2003 no seu Artigo 12º, define a inspecçao como: (Gabinete de Inspecçao Nacional da Educação) 1. O Gabinete de Inspecçao Nacional da Educação é o serviço que assegura o controlo pedagógico e disciplinar dos subsistemas do ensino não superior e o controlo administrativo e financeiro do sistema de ensino. 2. Ao Gabinete de Inspecção Nacional da Educação compete o seguinte: a) Controlar e supervisionar a aplicação correcta da política educativa; b) Apoiar e controlar a aplicação correcta dos planos de estudos, programas e orientações do sistema de educação; c) Capacitar os responsáveis, técnicos docentes e não docentes intervenientes na fiscalização da materialização da política educacional; d) Comprovar o rendimento do sistema de educação e ensino nos seus aspectos educativos e instrutivos; e) Elaborar, no âmbito das suas atribuições, estudos sobre questões fundamentais para o desenvolvimento das suas funções e apreciar os documentos que lhe forem submetidos superiormente; g) Facultar aos órgãos do Ministério informações actualizadas sobre a situação do sistema de educação; i) Exercer a acção disciplinar nos termos da lei que se mostrar indispensável ou lhe for superiormente determinada;

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O papel do professor (nuevo) 

      A Professor é algo de muito digno embora de anos para cá, cada vez menos se respeita. O Professor deve ter autoridade poder ensinar e ser respeitado, educa, lança sementes do pensamento lógico e intelectual. Promove a integração na sociedade e valores de trabalho. Pensar no papel do professor no actual estagio da sociedade e identificar uma multiplicação de acções diferentes para a mesma função. Professor pessoa que ensina uma disciplina, uma arte técnica ou outros conhecimento. Sociedade agrupamento de pessoa de ambos os sexos e com ideias variadas que vivem na mesma época e no mesmo espaço e que sujeito a normas, princípios e leis. Segundo Fotinas 1990 o educador e aquele que aceita a responsabilidade de contribuir para a educação de outras pessoas que procuram a via do seu dever e do seu destino. Deve ir beber as suas profundezas, isto e ao universo do saber eterno completo e inesgotável, e regra e guia do dever. E facto que o professor, ao longo do tempo, foi prestigio perante a sociedade que acabou afectando sua posição hoje na sala de aula. O que se vê agora como disse Paulo Freire e que as empresas estão se tornando cada vez mais escolas e as escolas, cada vez mais empresas, dessa forma o aluno, principalmente nas instituições privada, vê no professor um funcionário pago por ele acaba sentido se patrão dos mesmos. Actualmente, o aluno e quem manda, e quem diz se gostou ou não do tal professor e funciona quase como um director paralelo, não escolhendo, mais eliminando alguns sujeitos de grande doente de determinado escolas, sobretudo nas da rede particular do ensino.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Papel dos encarregados de educaçao na escola (nuevo) 

      A escola é uma empresa pública cujos clientes são alunos, professores, pais/encarregados de educação e comunidade em geral. Ela tem a razão de ser pelos serviços que deve prestar aos seus clientes directos (alunos, pais/encarregados de educação) e Indirectos (comunidade em geral). Neste trabalho cujo tema é o papel dos pais/encarregados de educação na escola, vimos que os pais têm um papel muito preponderante nas escolas e em geral na sociedade. O processo de ensino-aprendizagem é complexo, sistemático e eterno pois que exige o envolvimento directo e indirecto de todos actores educativos na concretização dos objectivos preconizados. Assim, valendo-nos do princípio que diz que "alunos, professores, pais/encarregados de educação e comunidade em geral, todos são aprendizes, porque cada um a seu nível ensina e aprende" – Paulo Freire-, necessário se torna estabelecer, manter e observar uma relação escola-comunidade e vice-versa, cada vez mais eficiente e saudável. Tal propósito só é possível concretizá-lo desde que haja observância do princípio democrático que permita a participação activa e consciente de todos. Desta maneira, podemos considerar que os promotores da boa e má imagem de uma instituição escolar são e serão os seus beneficiários.

      (Adicionado: 4ªf Set 24 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O livro negro do açúcar. Algumas verdades sobre a indústria da doença (nuevo) 

      A Humanidade evoluiu durante milhares de anos nutrindo-se dos alimentos que a natureza lhe oferecia. E quais foram os alimentos responsáveis por nossa evolução através dos tempos? Simplesmente aqueles que estavam ao alcance da mão: frutas, raízes, frutos do mar, aves, ovos, carnes em geral, gorduras e leite. O homem depois de descobrir que alimentos lavados na água do mar ganhavam um sabor especial, incorporou o sal à sua dieta. Em contrapartida, verificou que o mel conferia um sabor doce aos alimentos - e este passou a ser o seu adoçante. E assim, como temperos e condimentos, o homem foi selecionando gradualmente o que hoje se tornou requinte nas melhores cozinhas do mundo. Apesar de na Antigüidade a vida média das pessoas ser menor, devido às duras condições de existência, muitas das doenças que atualmente são quase epidêmicas, naquele tempo eram menos freqüentes, dentre elas as doenças cardiovasculares e o próprio câncer. Há menos de dez mil anos o homem dominou o cultivo das sementes, dando início à agricultura moderna. Há menos de mil anos conseguiu extrair o açúcar da natureza e há pouco mais de 400 anos praticamente universalizou seu consumo. Certamente este foi um dos principais fatores da disseminação da obesidade, do diabetes e outras doenças crônicas.

      (Adicionado: 6ªf Jun 06 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A aplicação dos jogos pedagógicos nas aulas de matemática da escola de ensino fundamental Antonio Bo (nuevo) 

      O objetivo deste trabalho é fazer uma análise reflexiva sobre o emprego do lúdico nas escolas, sendo de fundamental importância, para eficácia do aprendizado se for desempenhada simultaneamente com a função de distrair e instruir. Fazendo uma reflexão sobre o papel dos jogos na sala de aula e avaliando sua eficácia com base em pesquisa bibliográfica e de campo, realizada em turmas de 3º e 4º ano de ensino fundamental da Escola Antonio Bonfim Maribondo - AL. Percebemos a importância dos jogos matemáticos na escola, pois através deles as crianças elaboram raciocínio lógico e melhoram a sua comunicação, desta forma estão se socializando e aprendendo significativamente. Entendemos que a aprendizagem do educando deve ser preocupação fundamental para a escola, portanto nos tempos atuais, ela pode e deve se desempenhar e interagir no sentido de trazer e oportunizar os jogos educativos incentivando um aprendizado matemático mais lúdico, mais significativo, desenvolvendo habilidades essenciais para o desenvolvimento dos indivíduos envolvidos no processo educacional.

      (Adicionado: 6ªf Jan 17 2014 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A criatividade nos cursos de design: eliminando barreiras à criatividade em alunos do primeiro ano

      Na graduação em Design, o professor tem a importante função de contribuir para que as barreiras da criatividade sejam eliminadas desde o início, proporcionando aos estudantes um ambiente acadêmico intelectual e motivador. Entende-se que a criatividade no curso de Design é de essencial importância para a formação profissional, portanto o ensino criativo é tão relevante quanto a criatividade do corpo discente. Caso sejam trabalhadas juntamente, aliadas às características pessoais positivas do professor, pode-se criar um cenário favorável ao processo de aprendizagem. Os resultados criativos alcançados pelos designers são oriundos do estudo e vivência, não apenas consequência de talento inato. É nesse contexto que o professor universitário desta área deve buscar o foco no desenvolvimento das capacidades e habilidades criativas dos estudantes.

      (Adicionado: 6ªf Maio 31 2013 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Cálculo estequiométrico: rendimento escolar na resolução de problemas e exercícios com cálculos

      Quando ensinamos, desejamos que o nosso estudante aprenda e cresça como pessoa humana. Entretanto, ensinar não é o mesmo que aprender. Nem tudo o que se ensina se aprende. Esta realidade é o motivo da existência das metodologias de ensino, que fornecem ao professor os mecanismos mais adequados para consecução do supremo objectivo do ensino - que o estudante aprenda, e que aprenda significativamente. Uma aprendizagem significativa é aquela que é duradoura, sólida, não apenas repetitiva ou simples reprodução, no dizer de Novaes (1992), mas sim aquela que permite ao indivíduo a busca do novo conhecimento com base no já aprendido e, também a utilização do mesmo conhecimento em aplicações futuras, a que Novaes chama reprodução ampliada.

      (Adicionado: 6ªf Maio 31 2013 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
Próximos 15