Politica

Páginas: [<<] 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 [>>]

    • Inquérito policial

      O presente trabalho teve por escopo apresentar, de forma clara e concisa, mas visando sempre ao aprofundamento pertinente para cada tema, o instituto do inquérito policial tal qual trabalhado hodiernamente na doutrina brasileira e praxe policial e forense. Este estudo foi desenvolvido em 9 (nove) capítulos que perpassam por todas as fases do inquérito policial, trazendo apontamentos acerca das diferentes ideias ao longo dos períodos desde seu surgimento.

      (Adicionado: 5ªf Jan 13 2011 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Lagoa do Vigário: um tesouro formal engolido pela informalidade

      O presente trabalho tem por objetivo remontar o processo de ocupação do entorno da Lagoa do Vigário e analisar os conseqüentes problemas gerados pelo mesmo. Para isso foi preciso percorrer a trajetória do crescimento das cidades brasileiras, com conseqüente surgimento das cidades informais e os impactos produzidos por estas nas áreas fragilizadas e, principalmente, nas áreas de proteção permanente (APP). Reuniram-se, ainda, bibliografia, fotos, imagens, mapas, entrevistas e questionários para dar sustentação à discussão local.

      (Adicionado: 5ªf Jan 13 2011 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O caso Arruda

      O escândalo de corrupção que ocorreu no Distrito Federal com o ex-governador José Roberto Arruda. Analisou coberturas jornalísticas veiculadas durante 10 dias (28 de novembro a 07 de dezembro de 2009) de dois jornais impressos de Goiânia Diário da Manhã e O Popular. Como ilustração do escândalo na política foi necessário investigar reportagens, colunas e matérias jornalísticas que abordaram o escândalo também denominado de Caixa de Pandora, nome adotado na operação da Polícia Federal. (Em formato PDF)

      (Adicionado: 3ªf Set 21 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Política Habitacional Brasileira: trajetória de uma política de exclusão

      A análise aqui proposta materializou-se na vivência do campo de estágio na Agência Municipal de Habitação Popular - AMHP, essa proporcionou a observação de que as demandas trazidas pelos usuários à agência não são atendidas, em grande parte, nem mesmo em suas imediaticidades. Essa realidade instigou-me a reflexão sobre os determinantes formadores da política habitacional brasileira, e a ineficácia histórica dessa política no enfrentamento do déficit habitacional. Com uma abordagem documental e bibliográfica, esse trabalho busca identificar o discurso ideológico da política habitacional, entendendo que este discurso é determinante a uma ação interventiva que reforça o que está posto pela estruturas hegemônicas do "sistema mundo," principalmente em países periféricos como o Brasil, bem como, os pressupostos determinantes dos projetos e programas habitacionais em nível nacional e local. Tendo sempre em foco o posicionamento profissional do Serviço Social, frente aos compromissos definidos no Código de Ética e a defesa intransigente da democracia, da liberdade e da justiça social.

      (Adicionado: 3ªf Set 21 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A Polícia Cidadã, o Cidadão e a Constituição Cidadã

      Dentro de um Pais em que se vive uma Constituição Cidadã e que a sociedade clama por uma verdadeira aplicação dos direitos do Cidadão aparece a figura da Polícia Cidadã para cumprir o seu mister institucional ultrapassando e transpondo verdadeiras barreiras para alcançar o seu objetivo. A Constituição Federal de 1988 recebeu essa nomenclatura carinhosa de "Constituição Cidadã" pelo fato dela primar pelos direitos fundamentais e sociais, alicerçados na cidadania e na dignidade da pessoa humana e visando possibilitar condições sociais, culturais, econômicas e políticas aptas a assegurar a efetividade dos direitos humanos.

      (Adicionado: 5ªf Fev 04 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Delegado de Polícia: para onde você vai?...

      Dentro de um País em que se buscam melhorias na área de Segurança Pública está a figura do Delegado de Polícia. O Delegado de Polícia como chefe da Instituição Policial Civil. Como chefe da Polícia Judiciária a espera do reconhecimento da sua carreira Jurídica e ao mesmo tempo sendo desvirtuado das suas atribuições tendo que assumir posto diverso da sua competência, perdendo espaço através dos tempos e sofrendo interferências para perder também a presidência do seu principal ato, qual seja, o Inquérito Policial. O Mestre BASILEU GARCIA bem definiu o que é o Delegado de Polícia junto com o Inquérito Policial: "O Delegado de Polícia é o guardião da sociedade e das Leis penais, Ele verifica, in loco, no calor dos fatos, os verdadeiros problemas sociais. Verificando uma infração penal, consubstancia pela entrega ao Judiciário dos fatos, do autor, da materialidade, dos motivos, condições e circunstâncias do delito, a fim de auxiliar na prática da Justiça. Ele é Polícia Judiciária."

      (Adicionado: 5ªf Fev 04 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Polícia: Ordem, Fraternidade e Interatividade para a Paz Social

      Dentro de um País em que a sociedade clama por uma Segurança Pública mais eficaz e mais presente, nota-se que os organismos estatais sentem-se impotentes e incapazes para debelar a crescente onda de violência que assola todos os lugares. A Polícia como figura principal encarregada de manter a ordem publica para a conseqüente prestação da paz social precisa da conscientização e cooperação de toda a sociedade para alcançar os seus objetivos, entretanto, entende-se perfeitamente que o povo, na sua maioria, ainda tem a Polícia como se fosse então essa instituição a única responsável pelo assolamento da violência no país. Como se fosse então a principal responsável pelo recrudescimento da criminalidade. Como se fosse então a Toda Poderosa, Onipotente e Onipresente para estar em todos os lugares a todo o momento a fim de evitar ou descobrir crimes como num passe de mágica.

      (Adicionado: 5ªf Fev 04 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 10.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Agenda 21

      Desenvolvimento sustentável envolve muito mais coisas além da proteção ambiental. Ele busca a reconciliação entre as pressões aparentemente conflitantes do desenvolvimento econômico, da proteção ambiental e da justiça social. Viver de forma sustentável é aceitar o dever de buscar a harmonia com as outras pessoas e com a natureza. Devemos compartilhar entre nós o cuidado com a Terra. A humanidade não pode tirar mais da natureza do que a natureza pode repor. Ou seja, precisamos adotar estilos de vida e caminhos de desenvolvimento que respeitem os limites naturais. Isto é possível sem que se rejeitem os benefícios trazidos pela tecnologia moderna, desde que a tecnologia também trabalhe dentro destes limites. Esta é uma estratégia para uma nova visão do futuro - não é um retorno ao passado.

      (Adicionado: 3ªf Jan 26 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Estetização da política vs. formação da opinião pública: uma aporia da razão comunicacional?

      Quando Benjamin debate a tese de estetização da política, feita pelo fascismo, introduz um problema importante para o agir comunicacional. Ao escrever A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica, ele termina apontando para o comunismo como uma entidade capaz de ainda se contrapor ao movimento fascista, acenando com a resposta de politização da arte. No entanto, no momento em que feneceram as esperanças escatológicas depositadas no comunismo, como superar o eclipseda política pela sua transformação em mero espetáculo? É nesse contexto que pretendo debater o encobrimento da política tornado fim em si mesmo, que se reflete fora de si apenas enquanto preocupação com a imagem, e a alternativa de formação da opinião pública proposta pela razão comunicacional. Descritores – Estetização da política; agir comunicacional; opinião pública.

      (Adicionado: 3ªf Jan 26 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Corporeidad y aprendizaje : Una relación política-pedagógica

      A temática desta dissertação insere-se no interior do debate em torno da corporeidade e da aprendizagem numa relação político-pedagógica no âmbito escolar, propondo-se analisar no espaço e tempo da escola a formação integral do educando. Na tentativa de encontrar respostas aos objetivos pretendidos, buscou-se fundamentação teórica nos autores que sustentam a pesquisa. A partir daí, a investigação exigiu elaboração de instrumentos como questionários fechados, entrevistas semi-estruturadas, questões de apoio para observação, visita à escola, solicitação à direção e aos professores para a realização da pesquisa. Em consonância com a busca do referencial teórico e a busca empírica concreta e real da pesquisa, houve a interlocução com todos os professores1 que atuam direta ou indiretamente com os alunos das quintas séries do Instituto Estadual Rui Barbosa de São Luiz Gonzaga, Rio Grande do Sul, Brasil. Partindo das entrevistas, buscou-se desenhar alguns traços da polêmica em torno do conhecimento e da aprendizagem para ressaltar seu sentido político. As falas e as reflexões das professoras sugerem um caminho pedagógico para a formação continuada de docência. A partir disso, pode-se afirmar que uma simples mudança de concepção epistemológica não garante, necessariamente, uma mudança de concepção pedagógica ou de prática escolar, mas sem essa mudança de concepção superando o ensino fragmentado não haverá mudança na educação, nem na teoria nem na prática da sala de aula.

      (Adicionado: 6ªf Ago 21 2009 | Visitas: 0 | Colocação: 4.50 | Votos: 2) Avaliar
    • A Inteligência no Brasil: um exemplo de enclave autoritário

      Passados mais de vinte anos do fim do regime militar no Brasil, algumas prerrogativas militares insistem em permanecer, em nossa semidemocracia (Nóbrega Júnior, 2005 e 2006 e Zaverucha, 2005), inalteradas, ou superficialmente modificadas, mantendo um verniz que, a primeira vista, pode parecer como sendo democrática. Entulhos, obstruções que não são desafiadas pelos civis eleitos desde o primeiro presidente civil pós-regime de exceção. Áreas reservadas que são vistas como de direito, formal ou informal, um privilégio que não pode ser perdido por atores políticos que se mantém no poder, apesar de não ser mais governo. Uma dessas áreas reservadas é o setor de inteligência brasileiro que, apesar de vivermos em um ambiente de democracia eleitoral, permanece como um entrave de poder político nas mãos dos militares brasileiros. Este pequeno ensaio procura indicar este domínio reservado de um bem público tão importante para a garantia do Estado de Direito democrático, para a garantia da própria democracia, que é o setor de inteligência brasileiro.

      (Adicionado: 6ªf Maio 29 2009 | Visitas: 39 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A solidão dos intelectuais:Â entre a moralidade e o compromisso

      A relação entre os homens de saber e a política sempre foi conflituosa ao longo da história. Na sociedade moderna, a exigência de escolhas, de estabelecimento de compromissos políticos, imbricou-se com a avaliação moral de tais opções, acentuando os conflitos vividos pelos intelectuais. Essa tensão dilacerante, somada à expectativa do desempenho de sua função, conduziu-os à solidão. Na Antiguidade Clássica, entre pensadores os gregos, as posturas se diversificavam. Sócrates, com sua pedagogia pública, procurava levar aos indivíduos - cidadãos ou não - a possibilidade do conhecimento e, assim, a consciência da existência social e aspiração política; tornou-se dessa forma uma ameaça à democracia ateniense, uma "má influência aos jovens" e encontrou na morte a mesma motivação da vida: fez do magistério público seu martírio, fundou uma posição do homem de saber e deixou como herança o próprio infortúnio, a incompreensão do ato de pôr o saber a serviço da igualdade, de destroná-lo como apanágio de poucos e arma dos dominadores. Estava desvelada a periculosidade do saber em relação à política.

      (Adicionado: 6ªf Maio 29 2009 | Visitas: 38 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A terceira via: alternativa ou continuísmo?

      Anthony Giddens: o ideólogo da terceira via. Elementos definidores da terceira via. A terceira via à Brasileira. Algumas críticas à terceira via. A terceira via de Blair: a outra face do neoliberalismo inglês. Uma terceira via alternativa. A "terceira via" é composta de partidos políticos chamados genericamente de sociais-democratas, ligados de uma forma ou de outra à Segunda Internacional Socialista, partidos políticos de centro-esquerda que se opõem aos partidos conservadores.

      (Adicionado: 6ªf Maio 29 2009 | Visitas: 43 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Elementos da teoria do Estado de Friedrich Nietzsche

      Em sua teoria do Estado, Friedrich Nietzsche demonstra-se como fundamentalmente contrário à democracia moderna, destacando que esta representa a supervalorização da igualdade e, neste sentido, impede o crescimento de grandes homens que promovam o progresso da cultura e da humanidade. Através da categoria de novos filósofos, Nietzsche propõe uma forma de superar o movimento democrático de modo que a cultura será reconstruída sob uma nova roupagem que não está centrada nos valores dos escravos (povo), mas nos valores dos homens excepcionais. Conclui-se, assim, que, em Nietzsche, são os governantes que devem se proteger dos governados, e não o inverso tal qual preconizava Karl Marx.

      (Adicionado: 6ªf Maio 29 2009 | Visitas: 34 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Governo e Estado

      Política. Governo. Origem do estado. Evolução do estado moderno e contemporâneo. Doutrina dos direitos fundamentais. Conceito amplo e abrange todas as espécies de atividades diretivas autônomas; Entendemos por política, apenas a direção do agrupamento político, hoje denominado "Estado" ou a influência que se exerce em tal sentido. (Weber p.55). Do Grego: polis (cidade), aquele que participa das atividades da polis. (poder deliberativo e judicial). Os tipos de poder e as características do poder político: Poder político: poder do homem sobre seu semelhante; Três formas antigas: paterno, despótico e político (Aristóteles); Hobbes: "meios adequados para obter alguma vantagem"; Russel: "conjunto dos meios para alcançar os efeitos desejados"; Bobbio: poder ideológico - poder econômico - poder político.

      (Adicionado: 6ªf Maio 29 2009 | Visitas: 44 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
15 Anteriores Próximos 15