Politica

Páginas: [<<] 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 [>>]

    • Capital social e padrões de participação político-social em Ijuí – RS

      Participação como pressuposto essencial da democracia. Participação: da cultura política ao capital social. Participação na cultura política brasileira. Participação nas matrizes da cultura política de ijuí. Participação político-social e capital social em ijuí (1960-2005). Análise da variação do capital social de ijuí. O objetivo desta pesquisa foi examinar os níveis de participação político-social do município de Ijuí – Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. A hipótese principal é que práticas cada vez menos recorrentes de ações cívicas (participativas, associativas e de confiança) entre os membros da comunidade nas últimas décadas constituem a principal causa da variação negativa do capital social do município. O referencial teórico e metodológico utilizado nesta tese segue a abordagem do capital social, proposta por Robert Putnam. A segunda parte deste estudo analisa os resultados do survey aplicado no ano de 2005 (400 entrevistas). A comparação longitudinal entre o survey 2005 com o de 1968, indica o declínio de manifestações cívicas com a diminuição da participação política convencional; altos índices de desconfiança; redução do associativismo e cooperação. Estes resultados comprovam a hipótese central da variação negativa do capital social em Ijuí.

      (Adicionado: 5ªf Abr 30 2009 | Visitas: 34 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Os termos da cidadania e da política em crise no Brasil

      Este trabalho busca discorrer acerca da percepção que a sociedade brasileira tem sobre a crise política instalada no cerne da nação. Onde os termos da democracia, do regime de representação eleitoral e da cidadania, estão intimamente ameaçados. Para tanto, foi utilizada uma pesquisa exploratória qualitativa, com a finalidade de proporcionar o exame do tema em questão sob um enfoque diferenciado, gerando novas discussões e conclusões. Ao conduzirmos um exame histórico dos preceitos acerca dos termos da cidadania, podemos ponderar que sua acepção moderna pode ser evidenciada no âmbito do Estado capitalista moderno, sob a égide da ideologia liberal, estando primeiramente vinculada ao princípio de igualdade formal e, em contrapartida a desigualdade inerente à estratificação das classes sociais.

      (Adicionado: 5ªf Abr 30 2009 | Visitas: 31 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Participação e associações livres: os fundamentos da democracia em Tocqueville

      Com o objetivo de estudar o regime penitenciário dos Estados Unidos, Alexis de Tocqueville chegou a New York em 1831 com 26 anos de idade, juntamente com seu amigo Gustave de Beaumont. Depois de um ano de estudos in loco, Tocqueville acabou tornando-se um célebre conhecedor do funcionamento do regime político e da vida sociopolítica dos norteamericanos. Como síntese dos seus estudos, surgiu a sua principal obra, A democracia na América (La Démocratie en Amerique), cujo primeiro volume foi impresso em 1835 e o segundo em 1840. Este artigo procura demonstrar, a partir de uma visão panorâmica da obra A democracia na América (1987), a questão da participação e das associações (valores cívicos) como os fundamentos da democracia norte-americana. Trata, ainda, da questão da igualdade das condições, do caráter universal da democracia e do princípio da soberania do povo.

      (Adicionado: 5ªf Abr 30 2009 | Visitas: 33 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • 18 Brumário, política e pós-modernismo

      Teoria social versus história. Dois princípios explicativos. Os discursos e seus tipos. A primazia do econômico. Aparência e essência. A maioria das interpretações contemporâneas das análises de Karl Marx sobre a política européia da segunda metade do século XIX têm, em comum, a supressão de toda menção à "economia" e sua substituição, ou pela autonomia da política, nas versões heterodoxas, ou pelo caráter performativo da linguagem, nas versões pós-modernas. Neste artigo, sustenta-se que há n'O 18 Brumário de Luís Bonaparte uma interpretação da política que pode ser reduzida, do ponto de vista teórico, a dois princípios explicativos da concepção materialista da história: a primazia do econômico e a oposição entre essência e aparência. O artigo se propõe a verificar a incidência desses postulados naquele texto.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 49 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O profissionalismo político: considerações históricas e teóricas

      Simon Schwartzman concluiu que na década de 1920 a política, para os paulistas, "era uma forma de melhorar seus negócios; para quase todos os outros [agentes políticos], a política era seu negócio". Quando a atividade política tornou-se, para a elite de São Paulo, um negócio como outro qualquer, naquele sentido sugerido tradicionalmente por Joseph Schumpeter? A resposta a essa pergunta depende de como se considere o mundo político. Sua autonomia ou heteronomia em relação ao mundo social define o objetivo da investigação; e a heteronomia ou autonomia dos agentes políticos e dos interesses que eles defendem em relação aos agentes sociais aos quais estão ligados (de várias maneiras) e que, teoricamente, representam, decide o objeto da investigação. Caso se perceba o mundo político como um "reflexo" de fatores extrapolíticos, isso determina, de saída, o objetivo do estudo (que só pode ser "compreender os efeitos do mundo social sobre o mundo político"), bem como o objeto do estudo, que nunca podem ser "os políticos" e o seu mundo. Não se vai estudar a prática dos políticos em si mesma, justamente porque não se acredita que ela seja determinada por si mesma.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 41 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O zapatismo e o fim da história

      Conjunturas. Chiapas: o teatro do levantamento. O México e a nafta. Origens. Identidade indígena. Inovações e objetivos. presente artigo destina-se a apresentar algumas reflexões acerca do Exercito Zapatista de Libertação Nacional. Movimento que estará completando, em janeiro de 2004, dez anos de rebeldia. Pretendemos então, contribuir um pouco com o este debate, trazendo alguns subsídios para entendermos melhor o porque da revolta destes insurgentes e qual o seu relevante papel em uma época em que se preconizava o fim das utopias.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 43 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Planos diretores para pequenos municípios paranaenses

      Alternativas ao estatuto da cidade. Planos Diretores para pequenos municípios paranaenses: alternativas ao Estatuto da Cidade (Resumo). Reflexões sobre a Lei Estadual Paranaense - Obrigatoriedade da construção do processo participativo de elaboração de Planos Diretores. Reflexões sobre os instrumentos utilizados. O processo participativo. Estrutura da Gestão Democrática nos três municípios. Considerações finais: alternativas para o planejamento de pequenos municípios.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 40 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Por um mundo onde caibam muitos mundos

      Por um mundo onde caibam muitos mundos: o zapatismo e as não-fronteiras da resistência e da esperança. Este artigo se limita a levantar questões interpretativas que, esperamos, possam lançar certa luz para a compreensão do papel desempenhado atualmente por alguns movimentos sociais na América Latina. Movimentos que, não esquecendo suas particularidades e especificidades, são inteligíveis nos marcos de uma análise centrada na luta de classes. Trataremos sobre o Exército Zapatista de Libertação Nacional, que tem sua natureza no campo e em comunidades indígenas mexicanas. Atentaremos, sobretudo, para as formas de conflitualidades desenvolvidas contra o sistema social vigente.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 41 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Revolução e contra-revolução, fator subjetivo e objetividade

      Contra-revolução e esgotamento do modo de produção capitalista. Da defensiva democrática à ofensiva socialista. A evolução do marxismo tornou muito difícil o debate entre tradições revolucionárias distintas. Não apenas porque as opções políticas na maior parte das vezes contribuíram para que as dificuldades teóricas se tornassem ainda maiores, mas fundamentalmente porque os pressupostos foram se tornando tão distintos que até o mero entendimento das posições se tornou problemático. Além disso, a fragmentação dos marxistas se intensificou nas últimas cinco ou seis décadas. Inicio o artigo por esse fato para reconhecer, desde já, a possibilidade de incompreensões e mal-entendidos na leitura do texto de Valério Arcary. Minha formação política e teórica é tão distinta, e os referenciais são tão diferentes, que seria surpreendente se equívocos não ocorressem. Todavia, foi a convicção da possibilidade de um rico debate que possa, na pior das hipóteses, esclarecer reciprocamente nossas posições, que me levou à redigi-lo.

      (Adicionado: 6ªf Abr 03 2009 | Visitas: 36 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A marcha, o terço e o livro: catolicismo conservador e ação política na conjuntura do golpe de 1964

      "Tomando o poder dos corruptos, dos caudilhos, dos extremistas de baixa extração...". Os tenentes, os bacharéis e os demais. Uma outra marcha: o "livro único" e a encampação das escolas particulares. A alma dos paulistas e o chão do paraná. Este ensaio discute a atuação política dos grupos conservadores que, em São Paulo e no Paraná, apoiaram a intervenção militar de 1964. Analisamos a "Marcha da Família com Deus pela Liberdade". Conclui-se que, em Curitiba, o evento (rebatizado para "Marcha a favor do Ensino Livre") priorizou a luta pelas "liberdades individuais", deixando em segundo plano os valores tradicionais cristãos, diferentemente do enredo seguido em outras cidades. O caso em questão ilustra a complexidade da conjuntura ideológica no pré-1964, a natureza crítica das iniciativas do governo Goulart para levar adiante sua agenda reformista e as diferentes motivações não somente sociais, mas também regionais no engajamento da "sociedade civil" na campanha golpista.

      (Adicionado: 6ªf Mar 27 2009 | Visitas: 44 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Modelo e método de representação política durante o Estado Novo

      O historiador Thomas Skidmore, no seu estudo clássico sobre a política brasileira no século XX, Politics in Brazil, 1930-1964, insistiu em diferenciar o Estado Novo (1937-1945) dos seus congêneres europeus. Ele lembrou que, ao contrário do fascismo, Getúlio Vargas não organizou nenhum movimento político para legitimar o regime, não fabricou uma ideologia específica, ainda que às vezes o trabalhismo tivesse desempenhado algum papel, e muito menos criou um Partido para o governo. Aliás, todos os partidos políticos foram abolidos em dezembro de 1937. Isso deu origem, segundo Skidmore, a uma estrutura de poder peculiar: uma política sem políticos e um modelo de dominação baseado apenas na capacidade de manipulação e conciliação das facções políticas rivais nos estados. Nas suas próprias palavras: "O sistema "não-político" [sic] do Estado Novo oferecia o veículo perfeito para os seus [de Getúlio Vargas] grandes talentos de conciliação e manipulação, que por sua vez dependiam de contato altamente pessoal, com adversários e aliados".

      (Adicionado: 6ªf Mar 27 2009 | Visitas: 41 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Lênin e os meandros da questão camponesa

      Com o surgimento de movimentos agrários significativos no Brasil, e em outros países da América Latina, a questão camponesa volta novamente à cena, imbricada agora com temas de identidade cultural, ambientais, de distribuição de recursos naturais e de utilização de novas técnicas agrícolas. Observando, ainda, que as grandes revoluções sociais do século XX contaram com o campesinato como um ator decisivo e considerando que Lênin foi o primeiro autor dentro do marxismo a esmiuçar essa questão, o objetivo geral deste trabalho é acompanhar a reflexão desse autor sobre a questão agrário-camponesa, através da análise de seus escritos mais importantes sobre este tema, entre os anos de 1893 e 1923.

      (Adicionado: 4ªf Mar 25 2009 | Visitas: 47 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Para além da legalidade: A importância pedagógica dos Movimentos Sociais Populares

      As reflexões que seguem são resultado, por um lado, de nossa práxis de educação popular junto aos Movimentos Sociais Populares (MSP) do Brasil, especialmente do estado do Rio Grande do Sul, no trabalho que realizamos, como integrante da equipe de assessores do CAMP (Centro de Assessoria Multiprofissional) , de Porto Alegre. Por outro lado, buscamos enriquecer estas reflexões com instrumentais teóricos, no sentido de evidenciar e desenvolver potencialidades inerentes aos MSP, enquanto espaços privilegiados de transformação social. Faremos isto buscando demonstrar o caráter político e pedagógico dos MSP para os indivíduos e para a sociedade. A partir de elementos das micro-relações até as estruturais, apontaremos para a essencialidade dos mesmos numa estratégia de transformação social em vista de uma sociedade plural e autogerida pelo poder popular. Ao demonstrarmos os limites de uma visão de movimento social como expressão de anomalias a serem resolvidas e incorporadas pelos sistemas, pretendemos afirmar o caráter propositivo e transformador dos mesmos.

      (Adicionado: 4ªf Mar 25 2009 | Visitas: 46 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Parâmetros para uma análise empírica da relação entre idéias, elites e instituições

      A crise profissional e ideológica que tomou conta do estado-maior da política paulista depois de 1930 pode ser medida pela coleção de posições divergentes que os dirigentes do estado assumiram diante do governo federal, pela quantidade de vezes que eles romperam e reataram com o Presidente da República e pela exuberância das justificativas que deram ao público doméstico para cada um desses rodopios. Uma maneira objetiva de decidir esse drama foi não dispensar os atores, mas trocar de teatro. Na década seguinte, já sob o Estado Novo, o futuro Ministro do Trabalho (e, posteriormente, também da Justiça) Marcondes Filho, Vice-Presidente do Departamento Administrativo do Estado de São Paulo, exaltou o que seria, de fato, um feito. Muitos e admiráveis milagres, de ordem moral e material, o Sr. Getúlio Vargas terá realizado e ainda realizará no desempenho da missão histórica que a Providência lhe confiou [sic]. Mas, a meu ver, nenhum será mais belo, mais profundo e de maior ressonância do que este, que nos fez recuperar o verdadeiro e glorioso sentido de nós mesmos e ver que ele está, ainda e sempre, no âmago do próprio destino excelso do Brasil (MARCONDES FILHO, 1941, p. 195).

      (Adicionado: 4ªf Mar 25 2009 | Visitas: 42 | Colocação: 7.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Uma história política da transição brasileira: da ditadura militar à democracia

      Introdução: questões de terminologia e periodização. Um modelo de análise. A história política da transição brasileira. Algumas variáveis de análise política. A dinâmica da abertura política no brasil. Uma democracia autoritária?. O artigo trata da história política brasileira do golpe político-militar de 1964 ao segundo governo de Fernando Henrique Cardoso. Escrito sob a forma de um resumo explicativo, três temas unificam a narrativa sobre a transição do regime ditatorial-militar para o regime liberal-democrático: o militar, o político e o burocrático. Procura-se estabelecer inferências causais entre o conteúdo, o método, as razões e o sentido da mudança política a partir de 1974 e a qualidade do regime democrático na década de 1990. A explicação destaca a necessidade de se analisar dois espaços políticos diferentes, mas combinados: as transformações no sistema institucional dos aparelhos do Estado e as evoluções da cena política. Conclui-se que as reformas econômicas neoliberais não apenas prescindiram de uma verdadeira reforma política que aumentasse a representação, e de uma reforma do Estado que favorecesse a participação. As reformas neoliberais tiveram como precondição o arranjo autoritário dos processos de governo herdados do período político anterior.

      (Adicionado: 4ªf Mar 25 2009 | Visitas: 43 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
15 Anteriores Próximos 15