Religião

Páginas: [<<] 1 2 3 4 [>>]

    • A igreja universal do reino de deus, a partir da fenomenologia das religiões

      Matriz essencial o cristianismo. História da IURD. A significação simbólica da IURD. O presente trabalho tem como objetivo analisar a IURD – Igreja Universal do Reino de Deus, vertente protestante do Cristianismo e também pertencente a uma ala denominada Neopetencostal. Esclarecendo sua origem histórica e sua dogmática ritual simbólica. Dentro de uma perspectiva de investigação baseada na metodologia fenomenológica, que se desenvolveu a partir de dois conceitos: a EPOCHÉ e a EIDÉTICA, que na verdade expressam ainda que de forma resumida a importância e a identidade da fenomenologia das Religiões, o que resulta na obtenção de informações reais, sobre suas origens, porquês e a essência; através de pesquisas literárias e de campo. A IURD vivencia desde o primórdio de sua existência momentos de grandes conflitos em torno de seu desenvolvimento, ou seja, no seu período inicial, intermediário e contemporâneo. Através da pesquisa verificou-se que a mesma alcançou uma estrutura de grande porte, quer pelo seu patrimônio ou em números de membros. Conclui-se que mesmo diante de tantas polêmicas e outros problemas referentes aos seus métodos, quanto a sua ritualidade simbólica, a mesma de forma clara e racional como seguimento do movimento cristão e respalda-se literalmente na literatura Sagrada Cristã (Bíblia) para explicar e desenvolver suas doutrinas e significação simbólica. Fato que pode ser observado em rituais como: A Sessão de Descarrego, Banho de Descarrego e o Propósito da Rosa que embora para muitos possa ter semelhança com os rituais das religiões Afro-brasileiras, estão permeadas de verdades Cristãs, como por exemplo, a arruda, que por se tratar de um vegetal representa a natureza criada por Deus, a mesma é usada como um elemento pertencente ao Banho de Descarrego, assim sendo todos os elementos e símbolos que fazem parte da simbologia da IURD estão referenciados no Livro Sagrado Cristão. Palavras –chave: Cristianismo. Perseguição. Pentecostalismo. Neopentecostalismo. Símbolo.

      (Adicionado: 6ªf Ago 20 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Cuidar dos mortos

      Num tempo antigo de que não há memória, num calmo fim de tarde, o momento ideal para todos os desaparecimentos, um homem vê , sem compreender, que o seu companheiro se imobiliza e se cala, estranhamente. O que aconteceu? Será o sono de todos os dias, apenas desta vez mais calmo e prolongado? Mas o corpo tornase cadáver, primeiro tão parecido com o dos animais que lhes servem de alimento, depois começa a apodrecer e a pouco e pouco desaparece. A analogia com os animais mortos aliada à dolorosa observação do acabamento físico, e à ausência de comunicação, terão incutido no espírito desses homens antigos uma primeira consciência, ainda ténue, da morte.

      (Adicionado: 6ªf Ago 20 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Espaço de Representação da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa Antioquina: Um Estudo da Territoriali

      O presente ensaio trata da análise do espaço de representação da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa Antioquina a partir da territorialidade cristã ortodoxa de origem árabe e como faceta de uma cultura imigrante no Brasil. Na perspectiva da diversidade imigrante emerge a dinâmica religiosa aliada à perpetuação da religião ancestral como símbolo da permanência cultural e capital simbólico. No contexto recente das duas últimas décadas do século XX o impacto do pluralismo religioso se faz sentir nas relações multiculturais com a espacialidade islâmica e católica romana. Partimos do pressuposto de que a identidade cultural árabe é uma construção histórica e social espacialmente reconhecível através das estruturas da territorialidade religiosa.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 9.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Estruturas da territorialidade católica no Brasil

      Este ensaio, sob o título "Estruturas da Territorialidade Católica no Brasil" foi construído a partir da análise de que a Igreja Católica Romana mantém estratégias de expansão e preservação que são capitaneadas por determinadas estruturas da territorialidade do sagrado. A presença da Igreja Católica em realidades cada vez mais urbanas e cosmopolitas demonstra vários arranjos institucionais na manutenção da hegemonia territorial do sagrado diante do processo de secularização e da diversidade de identidades religiosas não-católicas. A cidade brasileira hodierna é a realização de um mundo secularizado que outrora fora eminentemente eclesiástico.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Haifa e "Akká: Hierofanias e Formas Simbólicas Bahá"ís no Coração do Mundo

      Akká: Também conhecida pelas transliterações "Akko ou Acre. O sistema de transliteração do árabe e do farsi que adotamos neste ensaio segue o Sistema de Transliteração dos Congressos Internacionais de Estudos Orientais tomando como base a obra de Momen (1985: XV-XVIII). Hierofanias: O uso do termo hierofania, na abordagem de Eliade, em O Sagrado e o Profano: A Essência das Religiões, refere se à manifestação do sagrado que enseja uma experiência religiosa primária através da revelação de uma realidade de caráter absoluto. A manifestação do sagrado funda ontologicamente um mundo. Uma derivação conceitual é o logismo hierópolis, especialmente referindo-se às Cidades-Santuários.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Igreja Católica Romana em Curitiba (PR): estruturas da territorialidade sob o pluralismo religioso

      Nas transformações do catolicismo brasileiro, o foco regional se relaciona com a análise da escala local e global como dimensões extremamente articuladas. Esta articulação caracteriza a Igreja local de Curitiba (PR) com uma territorialidade de duas instâncias, influenciadas por tensões escalares de caráter global próprias da hierarquia universal da Igreja e tensões regionais específicas da Igreja local. Afora estas forças de caráter endógeno da estrutura eclesiástica, verificam-se também tensões exógenas à própria Igreja, representadas por instituições não-católicas e mesmo instituições seculares. O último quarto do século XX demonstrou uma crise da representação dominante da Igreja Católica Romana no Brasil. A conjuntura secular das cidades e a retração no espírito missionário da Igreja motivaram o diagnóstico de uma certa estagnação do domínio simbólico da Igreja.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O ensino religioso nas escolas públicas do Brasil: discurso e poder frente ao pluralismo religioso

      O ensino religioso no Brasil hodierno redefine-se sob a égide do pluralismo religioso. O processo de reestruturação do ensino religioso perpassa a discussão da hegemonia religiosa católica no país. Este parâmetro evidenciase na construção de um discurso sobre o ensino religioso articulado pelos especialistas da religião que oscilam entre uma ênfase no aspecto confessional e outro fenomenológico de abordagem. No Paraná este embate adquire características polarizadas, de um lado o discurso das lideranças religiosas e de outro a práxis dos professores que atuam nas escolas públicas de ensino fundamental. A partir deste contexto, considera-se que a iniciativa de democratização do saber não resolverá por si só os problemas do preconceito e intolerância religiosa. Associado à expansão do saber sobre o fenômeno religioso, necessita-se uma revisão do posicionamento dos líderes religiosos diante da comunidade e das entidades civis do ensino religioso.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 7.00 | Votos: 2) Avaliar
    • Um espaço para compreender o sagrado:a escolarização do ensino religioso no Brasil

      O objetivo deste artigo é discutir na perspectiva histórica a crise epistemológica do Ensino Religioso ainda inconcluso no ambiente educacional do Brasil. Mesmo reconhecendo o pluralismo religioso no Brasil, é notável a disputa do espaço escolar pelas tradições religiosas, inferindo na alteração do foco de estudo deste componente curricular. Esta reflexão, articulada a partir do processo de escolarização do Ensino Religioso, demonstra o debate recente e o redimensionamento do objeto desta disciplina. Apresenta a discussão do pensamento e a análise do discurso religioso neste processo, pois a escola é um espaço privilegiado para a compreensão do sagrado em nossa sociedade.

      (Adicionado: 6ªf Fev 05 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 9.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Fides et Ratio: notas para uma crítica ao discurso religioso

      O discurso religioso revela-se distinto em sua gênese e performance. A eficácia simbólica da linguagem é a base na qual edificamos o mundo na sua dimensão social. Reconhecemos mais propriamente no discurso religioso a realização do símbolo no enlace do sagrado com o plano social. Utilizamos como exemplo a Encíclica Fides et Ratio na tentativa de reconhecer uma tipologia do discurso pertinente ao caráter específico do texto e sua dinâmica na história atual. PALAVRAS-CHAVE Discurso religioso, Fé e Razão, Religião.

      (Adicionado: 3ªf Jan 26 2010 | Visitas: 0 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Neopentecostalismo e religiões afro-brasileiras: Significados do ataque aos símbolos da herança reli

      Neste trabalho, pretendo analisar as relações de proximidade e antagonismo existentes entre o neopentecostalismo e as religiões afro-brasileiras, e suas conseqüências na transformação do imaginário social brasileiro construído a partir dos valores existentes nesses dois campos. O neopentecostalismo, em conseqüência da crença de que é preciso eliminar a presença e a ação do demônio no mundo, tem como característica classificar as outras denominações religiosas como pouco engajadas nessa batalha, ou até mesmo como espaços privilegiados da ação dos demônios, os quais se "disfarçariam" em divindades cultuadas nesses sistemas. é o caso, sobretudo, das religiões afro-brasileiras, cujos deuses, principalmente os exus e as pombagiras, são vistos como manifestações dos demônios. Uma outra face desse processo é, paradoxalmente, a "incorporação" da liturgia afro-brasileira nas práticas neopentecostais de algumas igrejas. Neste trabalho, pretendo analisar as relações de proximidade e antagonismo existentes entre estes dois campos religiosos, o neopentecostal e o afro-brasileiro, e suas conseqüências na transformação de certo imaginário brasileiro construído a partir dos valores aí existentes.

      (Adicionado: 4ªf Dez 31 2008 | Visitas: 140 | Colocação: 1.00 | Votos: 1) Avaliar
    • O naturalista como criador: o enigma da mensagem na garrafa

      Ao propor-me desenvolver o tema do homem como Criador*, esperava encontrar autores em que me apoiar. Tanto quanto apurei, entretanto, nenhum sistema de ideias aceita que o homem o seja, a não ser talvez o dos frequentadores do palácio de Satã, que não investiguei. Para as religiões convencionais, o Criador é um só, tenha embora muitos nomes - Deus, Ente Supremo, Grande Arquitecto do Universo, etc.. Para a ciência, na origem do universo e da vida está o acaso. Se nos colocarmos numa perspectiva ateísta, não haverá objecções a que se diga que Deus é uma criação humana, mas isto é um comentário, não uma teoria. Já sem polémica se aceita o homem como criador minúsculo, em todos os domínios - desde a procriação á pecuária e á agricultura, desde a arte ao infantário. Só neste pacífico relvado posso então pôr o naturalista a desafiar o Criador. No âmbito do projecto Ciência extraordinária: espécies criticas (1), vou apresentar dois exemplos de discurso bifurcado, nos quais vemos mais propósitos além de descrever objectivamente a natureza - o mapa de Alexander (2) de Fernando Pó (Bioko), e uma mensagem que se diz ter sido encontrada dentro de uma garrafa, no cume do Pico de Clarence ou de Santa Isabel. é a epígrafe : "Hoy, 3 de abril de 1860 - Julian Pellón y Rodg. - Punto de ebullición, 195,5. Temperatura, 70º fah." Demonstram mais uma vez que o naturalista é um criador, como o poeta, o pintor ou o alquimista.

      (Adicionado: 4ªf Dez 31 2008 | Visitas: 134 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A coleção etnográfica de cultura religiosa afro-brasileira do Museu de Arqueologia e Etnologia da Un

      A contribuição dos valores da chamada cultura afro-brasileira vem sendo mais e mais reconhecida como elemento marcante da cultura e sociedade brasileiras por todo o mundo. Hoje, não apenas a música e a comida, as festas, a capoeira e a religião, mas também elementos menos concretos como um “jeito de ser” herdado dos africanos, têm sido reconhecidos e divulgados como valores nacionais que, inclusive, exportamos para países da Europa e da Ásia, entre outros. O berimbau, o pandeiro, a terrina de feijoada, os orixás, são abertamente valorizados como elementos de nossa cultura, do mesmo modo que o rebolado, o jeito extrovertido, a malícia e a jocosidade. Exportamos o samba, o carnaval e as “mulatas” para todo o mundo; o candomblé e a umbanda para a Argentina, Venezuela, Chile, a Itália, Suécia, França, Alemanha, Estados Unidos e até para o Japão. Hoje, além do crescimento e da adesão de populações diversas às escolas de samba, à capoeira e aos ritmos de origem negra, seja o reggae, o samba ou jazz, há ainda um forte crescimento da adesão às religiões afro-brasileiras, que vêm se tornando mais e mais visíveis em todos os espaços sociais e na mídia impressa e eletrônica, aparecendo em novelas de televisão, minisséries, filmes, exposições, pinturas e esculturas e, mais recentemente, CD-ROMs e sites na Internet. As Ciências Sociais, por sua vez, dedicam-se a compreender o papel do negro na sociedade nacional, onde ainda é discriminado enquanto indivíduo ao mesmo tempo em que suas práticas culturais são absorvidas de modo quase apaixonado.

      (Adicionado: 3ªf Dez 30 2008 | Visitas: 139 | Colocação: 5.00 | Votos: 2) Avaliar
    • Foi conta para todo canto: As religiões afro-brasileiras nas letras do repertório musical popular br

      Neste artigo analisamos as múltiplas relações entre os valores e símbolos religiosos afro-brasileiros e a música popular nacional. Uma vez que a música é uma linguagem privilegiada na expressão dos valores destas religiões e, também, um elemento marcante na concepção da identidade brasileira, os termos comuns ou intercambiáveis destes campos semânticos constituem um locus privilegiado de trocas simbólicas e constituição do que se poderia chamar de ethos nacional. Este ethos incorpora e privilegia a musicalidade e tudo o que ela permite de extravasamento emocional e utilização do corpo de modo comunicativo e sensual. Não pretendemos discutir neste trabalho o papel da música na religião, mas seu diálogo com a cultura nacional.1 Além disso, embora estejamos cientes do papel fundamental que os ritmos e melodias de inspiração africana desempenharam para o êxito das canções analisadas, priorizaremos, para os fins deste texto, as mensagens contidas nas letras das músicas, deixando de lado seu aspecto melódico. “No terreiro de `preto-véio´, Iaiá, vamos saravá!”. Religião e os primórdios da música popular brasileira Nas religiões afro-brasileiras a música desempenha um papel fundamental.

      (Adicionado: 3ªf Dez 30 2008 | Visitas: 128 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • O Templo, o Tempo e o Som: sobre a expressão musical da liturgia latina (período medieval)

      Suponho que todos os presentes sabem que o núcleo da Missa cristã é a actualização, através da representação ritual, da Última Ceia, ocupando um sacerdote o lugar de Cristo; e também que o ofício divino é o conjunto dos actos de culto de natureza comunitária, com exclusão da Missa, prestados em momentos pré-determinados ao longo do dia, pela comunidade ou por um grupo que a representa. A Missa inclui diversos textos fixos, alguns dos quais são próprios deste ou daquele dia " constituindo, portanto, o Próprio da Missa " e outros que se mantêm ao longo do ano, o chamado Ordinário da Missa. O ofício divino, largamente baseado na recitação dos Salmos, distribui-se por diversas horas contadas segundo a prática romana: as Laudes (ao nascer do sol), a prima, a tércia, a sexta (ao meio-dia), a noa, as Vésperas (ao pôr do sol), as Completas (ao deitar) e os Nocturnos ou Matinas (já depois da meia-noite). Tanto o sacerdote que celebra a Eucaristia como o grupo laico ou clerical que celebra o ofício divino julga contribuir com as suas acções para a protecção da comunidade e a salvação espiritual dos seus membros individuais. Numa sociedade que crê na eficácia do ritual religioso e da oração, a liturgia dá uma protecção efectiva, ao estabelecer publicamente a autoridade de modelos de comportamento, ao permitir que os clérigos seus intervenientes desempenhem funções de mediação e promoção da paz social e ao determinar que os lugares de culto possam servir de refúgio em momentos de crise.

      (Adicionado: 3ªf Dez 30 2008 | Visitas: 143 | Colocação: 10.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Religiões afro-brasileiras e cultura nacional: uma etnografia em hipermídia

      Este artigo aborda uma pesquisa em andamento cujo objetivo é interpretar as relações existentes entre o campo religioso afrobrasileiro e a cultura nacional apresentando-as através dos recursos oferecidos pela hipermídia (articulação em meio digital de múltiplos textos - hipertextos -, sons, imagens etc.). Consideramos que o caráter dinâmico desta linguagem permite incorporar na etnografia as diferentes dimensões dos fenômenos culturais analisados. Desta forma, pretendemos mostrar que as inovações científicas e tecnológicas da hipermídia podem ser instrumentos valiosos também na geração de novos conhecimentos no campo da antropologia. Palavras-chave: Campo religioso afro-brasileiro. Cultura nacional. Etnografia. Desde 1999 vimos estudando, com auxílio financeiro da FAPESP (19992000) e do CNPq (2001-2006)1 , as potencialidades etnográficas do uso de novos suportes e tecnologias de registro, organização e análise de dados, especialmente no que diz respeito á representação etnográfica.

      (Adicionado: 3ªf Dez 30 2008 | Visitas: 130 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
15 Anteriores Próximos 15