Saúde

 
Esportes (14) +
Páginas: [<<] 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ... [>>]

    • Óleo de soja e própolis na alimentação de cabras leiteiras: consumo de matéria seca e de nutrientes

      Consumo de matéria seca e de nutrientes e parâmetros de fermentação ruminal. Objetivou-se avaliar a inclusão de níveis crescentes de óleo de soja (0; 1,5; 3,0; 4,5; 6,0; e 7,5% da MS), extrato etanólico de própolis (0; 1,0; 2,0; 4,0; 8,0 e 12,0 mL/animal/dia, 50% p/v de própolis moída em solução alcoólica a 70% em água) e própolis bruta moída (0; 0,5; 1,0; 2,0; 4,0 e 6,0 g/animal/dia) na alimentação de cabras leiteiras. Avaliaram-se o consumo de MS e de nutrientes e alguns parâmetros de fermentação ruminal, como pH, amônia (NH3), ácidos graxos voláteis (AGV) e atividade específica de produção de amônia (AEPA) pela microbiota ruminal. Foram utilizadas seis cabras Alpinas fistuladas no rúmen, em seis períodos experimentais. As dietas foram compostas de 67% de silagem de milho e 33% de concentrado à base de fubá de milho e farelo de soja. Os animais foram submetidos ao tratamento controle e, em seguida, a cinco níveis crescentes de óleo de soja, extrato etanólico de própolis e própolis bruta moída utilizando-se dois animais para cada produto testado, em seis períodos experimentais. Não houve efeito de níveis de óleo de soja, extrato etanólico de própolis e própolis bruta moída sobre o consumo de MS e de nutrientes e sobre os parâmetros ruminais estudados. Sugere-se, no entanto, a realização de mais pesquisas com a adição de própolis na alimentação de ruminantes, pois existem efeitos antimicrobianos comprovados in vitro e evidências de que seu fornecimento a esses animais reduz a relação acetato:propionato e a concentração de butirato no rúmen. Äcidos graxos voláteis, amônia, caprinos, pH.

      (Adicionado: 6ªf Nov 16 2007 | Visitas: 276 | Colocação: 10.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Terapia hormonal para a menopausa (TH)

      A mulher, o médico e a indústria farmacêutica. Perspectivas. Múltiplos interesses a considerar. Hormone therapy and menopause (HT): multiple interests to consider. Em 2002, o estudo Women's Health Iniciative (WHI) foi interrompido após as estimativas revelarem que o uso dos hormônios aumentava o risco de doenças cardiovasculares e de câncer de mama. A literatura publicada após o ocorrido aponta três núcleos de interesse: a mulher, o médico e a indústria farmacêutica. Com relação à mulher, destacam-se os aspectos culturais da menopausa, a luta dos movimentos feministas, a escassez de estudos epidemiológicos. Com relação ao médico, é assinalada a precariedade de informação sobre segurança no uso dos fármacos. Com relação à indústria farmacêutica, destaca-se a motivação econômica. Terapia de reposição hormonal, Utilização, Estrogênios, Menopausa.

      (Adicionado: 6ªf Nov 16 2007 | Visitas: 251 | Colocação: 10.00 | Votos: 2) Avaliar
    • Análise bioética da propaganda e publicidade de medicamentos

      Sob a perspectiva da "ética da proteção" e da "bioética de intervenção", a pesquisa analisa a influência das peças publicitárias de medicamentos veiculadas à classe médica na prescrição de medicamentos. Estuda, ainda, a qualidade das informações nas propagandas de medicamentos de venda sob prescrição, antes e depois da Resolução da Diretoria Colegiada da Anvisa - RDC 102/2000, que regulamenta a propaganda de medicamentos no país, bem como discute o papel regulador do Estado na área. Primeiramente, foram entrevistados 50 médicos de Brasília, a fim de examinar como percebem os efeitos da propaganda sobre sua atividade profissional. Em seguida, foram avaliadas 10 peças publicitárias, 5 veiculadas antes e 5 depois da RDC 102/2000. Propaganda e publicidade de medicamentos, Legislação, Bioética.

      (Adicionado: 5ªf Nov 08 2007 | Visitas: 264 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Saúde da família

      Equipe de saúde no PSF: caminhos e possibilidades. Algumas reflexões e suas conexões com o trabalho em equipe. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade: um campo em construção no PSF. A interação habermasiana: construindo um novo caminho. O trabalho em equipe, embora não seja uma exclusividade da Saúde da Família, representa um de seus principais pilares, ainda pouco discutido em pesquisas na saúde coletiva. A perspectiva da integralidade das ações favorece uma ação inter/transdisciplinar. Na construção do projeto de Saúde da Família, é necessário que o trabalho em equipe seja norteado por um projeto assistencial comum e que os agentes desenvolvam uma ação de interação entre si e com a comunidade. Para tanto, é imprescindível o desenvolvimento de uma prática comunicativa orientada para o entendimento mútuo. Esse artigo apresenta considerações preliminares sobre o trabalho em equipe na Estratégia de Saúde da Família sinalizando seus entraves e possibilidades na construção desse modelo assistencial. Trabalho em equipe, Saúde da família, Modelo assistencial.

      (Adicionado: 5ªf Nov 08 2007 | Visitas: 270 | Colocação: 7.33 | Votos: 3) Avaliar
    • Sinitox Brasil

      Escolha do período de análise. Participação dos centros nas estatísticas de 1999 a 2003. Realização de análises descritivas. Cálculo dos coeficientes de incidência. Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas SINITOX e as intoxicações humanas por agrotóxicos no Brasil. Este trabalho apresenta o perfil das intoxicações por agrotóxicos, estes separados por agrotóxicos de uso agrícola, agrotóxicos de uso doméstico, produtos veterinários e raticidas, a partir da análise da base de dados do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX), para o período de 1999 a 2003. Os resultados encontrados apontam perfis diferentes para as intoxicações causadas por estes quatro produtos.

      (Adicionado: 5ªf Nov 08 2007 | Visitas: 222 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A trajetória silenciosa de pessoas portadoras do HIV contada pela história oral

      A contextualização social da AIDS. Compreendendo o estigma relacionado ao HIV e à AIDS. Descortinar dos resultados. As vivências diante da situação limite. A expressão da sexualidade. Sistema de saúde. Um olhar retrospectivo sobre o percurso analítico. O surgimento da AIDS como fenômeno social e histórico carregou consigo os espectros construídos no imaginário social, recrudescendo o conceito de peste, mobilizando sentimentos e preconceitos, tornando-se ela mesma um grande estigma. Fatores que afetam de maneira fundamental o bem-estar de pessoas vivendo com o HIV. E para compreender a dimensão do problema das pessoas que vivem com o HIV que não procuraram os serviços do SUS para o acompanhamento de sua saúde, propusemo-nos a realizar este estudo tendo como objetivo apreender os motivos que dificultam essa procura. O referencial metodológico adotado foi história oral temática. Os colaboradores do estudo foram cinco pessoas portadoras do HIV. Utilizando a análise de conteúdo, observamos que os colaboradores não procuram as Unidades de Saúde próximas às suas casas pelo medo de serem identificados, principalmente quando sabem que nesses serviços irão encontrar pessoas de seu convívio social para quem não foi revelado seu diagnóstico de HIV. Devido a esse medo, antecipam que vão sofrer de discriminação e estigmatização – em função da representação social da doença – e, assim, para se proteger, escolhem o segredo que os impede de confiar em alguém ou procurar cuidados para a sua saúde, aumentando seu sofrimento pessoal e sua vulnerabilidade para adoecer de AIDS. Estigma, Sistema de saúde, Enfermagem.

      (Adicionado: 4ªf Nov 07 2007 | Visitas: 224 | Colocação: 9.00 | Votos: 2) Avaliar
    • Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS

      A integralidade como princípio articulador no sistema único de saúde. A integralidade no agir em saúde. A integralidade como eixo norteador das ações de educação em saúde. Entendemos a integralidade no cuidado de pessoas, grupos e coletividade tendo o usuário como sujeito histórico, social e político, articulado ao seu contexto familiar, ao meio ambiente e a sociedade na qual se insere. Neste cenário se evidencia a importância das ações de educação em saúde como estratégia integradora de um saber coletivo que traduza no indivíduo sua autonomia e emancipação. Com base nesta compreensão o estudo busca refletir acerca do princípio da integralidade como eixo norteador das ações de educação em saúde. A educação em saúde como processo político pedagógico requer o desenvolvimento de um pensar crítico e reflexivo, permitindo desvelar a realidade e propor ações transformadoras, enquanto sujeito histórico e social capaz de propor e opinar nas decisões de saúde para o cuidar de si, de sua família e da coletividade. Integralidade, Educação em saúde, Promoção da saúde.

      (Adicionado: 4ªf Nov 07 2007 | Visitas: 222 | Colocação: 2.00 | Votos: 1) Avaliar
    • Sistemas de indicadores de saúde e ambiente em instituições de saúde

      Principais modelos para construção de indicadores ambientais. Modelo Força Motriz-Pressão-Estado-Exposição-Efeito-Ação (FPEEEA) a ser aplicado em instituições de saúde. Neste artigo, é realizada uma revisão teórica sobre aspectos conceituais e metodológicos da construção de um sistema de indicadores, visando a gestão integrada em saúde e ambiente nas instituições de pesquisa, ensino e prestação de serviços em saúde, que articule também a Biossegurança. Partiu-se do estudo de modelos internacionais de indicadores, destacando-se o modelo da Organização Mundial de Saúde, mais apropriado para este trabalho, a partir do qual foi feito o processo de coleta, organização e síntese de informações. Visa-se criar um instrumental de monitoramento e avaliação destas ações, a fim de apoiar a tomada de decisões. Indicador, Saúde coletiva, Gestão ambiental e biossegurança.

      (Adicionado: 4ªf Nov 07 2007 | Visitas: 209 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A modalidade de assistência Centro-Dia Geriátrico

      O objetivo deste artigo é descrever os efeitos da assistência multiprofissional na capacidade funcional de idosos atendidos em Centro-Dia Geriátrico após seis meses de acompanhamento. O método usado foi o estudo clínico observacional de seguimento. Catorze pacientes com idade superior a 80 anos foram avaliados na admissão ao serviço e após seis meses de acompanhamento, segundo os seguintes instrumentos: atividades diárias pelo Brazilian OARS Multidimensional Functional Assessment Questionnaire; estado cognitivo por meio do Mini-Mental State Exam, equilíbrio funcional pela Berg Balance Scale e mobilidade pelo Timed Up and Go Test. Foi realizada análise descritiva simples e, para comparação entre os dois momentos de avaliação, os testes Wilcoxon e T-pareado, a=0,05. Saúde do idoso, Idoso débil, Assistência integral à saúde, Pesquisa sobre serviços de saúde.

      (Adicionado: 3ªf Nov 06 2007 | Visitas: 195 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Habitação saudável e ambientes favoráveis à saúde como estratégia de promoção da saúde

      Movimento da promoção da saúde e da habitação saudável. Habitabilidade e ambiência: estratégias para a promoção da saúde. Neste artigo, discute-se a Habitação Saudável enquanto campo potencial de conhecimento e de práticas a serem aplicadas na estratégia de Promoção da Saúde, como instrumento de abordagem ampliada de discussão dos problemas relativos à saúde e à qualidade de vida. Apresenta-se o desenvolvimento e a consolidação da Promoção da Saúde, centrando a discussão em dois campos de ação: políticas públicas saudáveis e criação de ambientes favoráveis à saúde. Como caminho de reflexão e aproximação dos campos da Promoção da Saúde e da Habitação Saudável, são utilizados os conceitos de habitabilidade e de ambiência. Habitação saudável, Promoção da saúde, Habitabilidade, Ambiência.

      (Adicionado: 3ªf Nov 06 2007 | Visitas: 188 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Habitação saudável e ambientes favoráveis à saúde como estratégia de promoção da saúde

      Movimento da promoção da saúde e da habitação saudável. Habitabilidade e ambiência: estratégias para a promoção da saúde. Neste artigo, discute-se a Habitação Saudável enquanto campo potencial de conhecimento e de práticas a serem aplicadas na estratégia de Promoção da Saúde, como instrumento de abordagem ampliada de discussão dos problemas relativos à saúde e à qualidade de vida. Apresenta-se o desenvolvimento e a consolidação da Promoção da Saúde, centrando a discussão em dois campos de ação: políticas públicas saudáveis e criação de ambientes favoráveis à saúde. Como caminho de reflexão e aproximação dos campos da Promoção da Saúde e da Habitação Saudável, são utilizados os conceitos de habitabilidade e de ambiência. Habitação saudável, Promoção da saúde, Habitabilidade, Ambiência.

      (Adicionado: 3ªf Nov 06 2007 | Visitas: 180 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A concepção e prática dos gestores e gerentes da estratégia de saúde da família

      Este estudo analisa a gerência no âmbito municipal através da prática dos gestores e gerentes de unidades gestoras de Saúde da Família: secretarias de saúde e unidades básicas de saúde. O quadro teórico toma a gerência e as tecnologias de relações sociais enquanto instrumentos do processo de trabalho em saúde, considerando-as ferramentas potentes de mudanças, na micropolítica do trabalho vivo em saúde. A abordagem metodológica é qualitativa e as técnicas de pesquisa foram a observação participante sistematizada e as entrevistas semi-estruturadas. Os sujeitos da pesquisa foram os secretários municipais de saúde, coordenadores de Saúde da Família e diretores de quatro municípios do Estado do Maranhão. Os resultados revelam que a gerência está pautada num estilo gerencial tradicional caracterizada por um núcleo burocrático duro, porém com perspectiva de mudança porque, na prática, já existem brechas que sinalizam o estabelecimento de relações de responsabilização e mais acolhedoras com os usuários e as famílias. Gerência de serviços de saúde, Processo de trabalho em saúde, Saúde da Família.

      (Adicionado: 2ªf Out 29 2007 | Visitas: 180 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • A relação entre o espaço e a saúde bucal coletiva

      A relação entre o espaço e a saúde e a construção social destes dois elementos. A saúde bucal e a sua expressão espacial. Análise espacial em saúde bucal: a epidemiologia georreferenciada. Por uma epidemiologia georreferenciada. A importância do meio-ambiente sobre a saúde das pessoas é uma preocupação antiga do ser humano. Dos textos hipocráticos aos dias de hoje, o conceito de espaço permitiu e permite diferentes representações e formas de apreensão. Superando a concepção natural do espaço apenas como um ambiente inerte e passivo, a visão de um espaço geográfico socialmente construído, tanto como um receptor dos processos sociais quanto como o próprio ativador destes processos, torna-se cada vez mais relevante na compreensão dos fenômenos envolvidos no processo saúde-doença.

      (Adicionado: 2ªf Out 29 2007 | Visitas: 181 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
    • Possibilidades de contribuição do farmacêutico para a promoção da saúde

      Papel do farmacêutico ao longo do século XX. Contribuição da profissão farmacêutica para a promoção da saúde. Reorientação do serviço de farmácia. Desenvolvimento das habilidades da comunidade. Incentivo à ação comunitária. Os medicamentos são considerados a principal ferramenta terapêutica para recuperação ou manutenção das condições de saúde da população. No entanto, o simbolismo de que eles são revestidos e, conseqüentemente, o uso dos mesmos pela sociedade, tem contribuído para o surgimento de muitos eventos adversos, com elevado impacto sobre a saúde e custos dos sistemas. Assim, a promoção do uso racional dos medicamentos é uma ferramenta importante de atuação junto à sociedade, para senão eliminar, minimizar o problema. Neste sentido, o farmacêutico pode contribuir sobremaneira, já que este é assunto pertinente a seu campo de atuação. Sua participação em equipes multidisplinares acrescenta valor aos serviços e contribui para a promoção da saúde. Este artigo trata destas questões e discute as possibilidades desta contribuição. Uso racional de medicamentos, Farmacêutico, Promoção da saúde, Atenção farmacêutica,

      (Adicionado: 2ªf Out 29 2007 | Visitas: 169 | Colocação: 7.00 | Votos: 2) Avaliar
    • Utilização dos serviços de saúde

      Desigualdades na utilização dos serviços de saúde da rede SUS e da rede privada nos municípios-casos. Desigualdades no acesso e utilização dos serviços de saúde na Região Metropolitana de São Paulo. Este artigo relata achados dos estudos de casos realizados em cinco municípios da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP): São Paulo, Guarulhos, Santo André, Osasco e Franco da Rocha. As desigualdades no acesso aos serviços e sua utilização foram descritas a partir de tabulações avançadas da Pesquisa de Condições de Vida-PCV de 1998 do Seade. Analisamos informações a partir das variáveis posse ou não de planos de saúde, quintil de renda e faixa etária. Os atributos estudados foram: utilização dos serviços, tipo de cobertura do plano, procura pelos serviços e tempo médio de espera no atendimento.

      (Adicionado: 2ªf Out 29 2007 | Visitas: 152 | Colocação: 0.00 | Votos: 0) Avaliar
15 Anteriores Próximos 15