Lei de malus

3606 palavras

A lei de Malus no laboratório de Física experimental Rafael Mendonça Almeida, IFMA RESUMO A lei de Malus dá a intensidade resultante de um feixe de luz quando no caminho desta é colocado um polarizador. Neste experimento, tem-se como objetivo verificar tal lei a partir do uso de polarizadores Polaroid em um aparelho denominado polariscópio de Nörremberg.

Malus nasceu em Paris, participou da expedição de Napoleão ao Egito, de 1708 a 1801, e tornou-se membro da Academie dês Sciences em 1810. Seu trabalho matemático foi quase inteiramente envolvido com o estudo da luz. Ele estudou sistemas geométricos denominados sistemas de raios, intimamente ligado à geometria da linha de Julius Plücker. Ele conduziu experimentos para verificar as teorias da luz de Christiaan Huygens e reescreveu a teoria de forma analítica. Sua descoberta da polarização da luz por reflexão foi publicado em 1809 e sua teoria de refração dupla da luz em cristais, em 1810. Malus tentou identificar a relação entre o ângulo de reflexão polarizado que ele descobriu, e o índice de refração do material reflectante. Ainda que ele tenha deduzido a correta relação para a água, ele era incapaz de fazer isso para vidros devido à baixa qualidade dos materiais disponíveis para ele (a maioria dos vidros naquela época apresentava uma variação no índice de refração entre a superfície e o interior do vidro). Só em 1815 que Sir David Brewster foi capaz de experimentar vidros de alta qualidade e formular corretamente o que é atualmente conhecido como lei de Brewster. Um polarizador é um dispositivo que converte um feixe de ondas eletromagnéticas (luz, por exemplo) despolarizado ou com polarização múltipla em um feixe com um único estado de polarização (geralmente uma única polarização linear). Polarizadores são usados em muitas técnicas e instrumentos ópticos, e filtros polarizadores são utilizados em Fotografia.