Absenteísmo na equipe de enfermagem

 

Estudo de revisão literária, natureza qualitativa, descritiva, elaborado com objetivo de descrever os principais fatores do absenteísmo a enfermagem. A metodologia foi desenvolvida com base em pesquisa online em sites de levantamento bibliográfico de obras brasileiras sobre o absenteísmo na enfermagem e absenteísmo - doença. O absenteísmo na enfermagem é um problema de extrema preocupação, qual interfere no cuidado ao paciente, sobrecarrega os demais integrantes da equipe e pode levar ao adoecimento, levando ao absenteísmo. Conclui-se que os profissionais de enfermagem são acometidos por inúmeros problemas de saúde. Destacaram-se as estratégias do dimensionamento de pessoal e as ações preventivas como modos de estabelecerem melhores condições de trabalho, minimizando o absenteísmo.

Palavras-chave: “Absenteísmo. Absenteísmo na equipe de enfermagem. Absenteísmodoença”.

Ao iniciar este trabalho, cabe primeiro colocar a definição de Ferreira (1999) para a palavra “absenteísmo”, e após esclarecer a abordagem dada ao tema. Absenteísmo tem origem no Francês (absenteísmo) que significa falta de assiduidade ao trabalho ou a qualquer outra obrigação social.

O trabalho sempre ocupou lugar de destaque na vida das pessoas por necessidade de realização pessoal e como forma de subsistência. Pode-se considerar o trabalho como um organizador da vida social, que abre espaço para a dominação e a submissão do trabalhador ao capital, cabendo a alguns o “direito” de pensar e projetar o que deve ser executado por outros, geralmente menos qualificados e inseridos na base da pirâmide social.

O trabalho é um fator muito importante na vida dos indivíduos, tanto como realização pessoal como sustentáculo de desenvolvimento. Diga-se que o trabalho é realmente um meio de sobrevivência. Pode ser entendido como fundamental para vida social, cultural e econômica. Para algumas pessoas é destinado o direito de pensar e planejar, já para outras só resta a executar, sendo assim via de regra, que pertencentes ao embasamento da pirâmide social.

No que diz respeito à relação trabalho e saúde, os trabalhadores de áreas operacionais, em sua maioria, estão mais sujeitos a ambientes e condições insalubres. Assim, o trabalho é visto historicamente como forma de realização, tornou-se fonte de risco para a saúde. As diversas formas de trabalho, realizadas no interior das organizações, vêm elevando os agravos à saúde, pois o trabalhador ainda é visto como uma “máquina” no processo produtivo e pouca atenção têm sido dadas aos aspectos de proteção ambiental no trabalho, como também em relação a sua participação no planejamento e organização do processo de trabalho. (GUIMARÃES, R., 2005)

 



(Ver trabalho completo)

 

Maria de Fátima Barboza Fisiofatima
mariadefb56[arroba]hotmail.com

 
As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.