Capelas Rurais Paulistas dos séculos XVII e XVIII

 

A historiografia nos convida a imaginar a vida na extensa circunvizinhança de São Paulo de Piratininga dos dois primeiros séculos como a pintura de uma paisagem predominantemente rural, os morros cobertos por matas, com pequenas aberturas onde se cultivam os víveres indispensáveis à subsistência das famílias espalhadas por este vasto e bucólico cenário, em suas moradias, sempre rodeadas por índios trabalhando, cingindo a terra, conduzindo o gado, transportando coisas. Uma dessas moradas se destaca sobremaneira já pelo portal de entrada, todo em madeira lavrada, onde, logo depois de ultrapassá-lo, se vê alguns cavalos num cercado tosco tendo ao lado algumas cocheiras, de onde prossegue um caminho adornado por roseiras e marmeleiros de lado a lado até encontrar um pátio onde se dispõem diversas benfeitorias. O observador atento logo se apercebe da rara presença de mulher branca, aqui apenas assinalada numa figura postada ao lado de um homem barbudo que parece dar ordens, a partir da varanda de uma casa larga e atarracada, a um grupo de índios que se dirige a uma capela alpendrada posicionada a pouca distância. Bem ao lado da capela alguns índios se ocupam em fincar um pau comprido encimado por uma bandeira, prenunciando alguma festividade. Outro grupo, este só de índias, se concentra em torno de umas choças, não muito distantes da mencionada casa, onde preparam comidas em abundância. A normalidade cotidiana parece algo alterada diante de tanta atividade. Alheio a tanta agitação, um padre, provavelmente da Companhia de Jesus, catequiza um grupo de indiozinhos, que parecem entonar cânticos religiosos. Bem mais adiante, após ultrapassar um trigal bem proporcionado, surge um panorama não muito diverso, exceto em relação à escala dos elementos antes mencionados, que se dispõe em unidades ao longo de um caminho plano, umas de tamanho médio, outras menores, demarcadas por valas e arvoredos de espinho, retratando a vida mais modesta de seus moradores que, todavia dispõem igualmente de alguns índios para o trato de suas lavouras e criações.

 



(Ver trabalho completo)

 

Carlos Gutierrez Cerqueira 
carlosgutierrezcerqueira[arroba]gmail.com.br

 
As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.