Os músicos e a ordem. A regulamentação da primeira arte

 

A partir de 22 de dezembro de 1960 a profissão de músico no Brasil passou a ser regulamentada pela Lei número 3.857, pois os profissionais que faziam parte deste meio, até então, se encontravam totalmente desamparados e nem o reconhecimento profissional sequer era tido pela sociedade. Com o advento da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) o exercício da profissão se tornou regulamentado e, a partir daí considerado como uma profissão mediante a regulamentação de lei.

Os anos se passaram e, com a nova Constiuição Federal de 1988, os próprios músicos iniciaram um questionamento sobre a legalidade ou não do orgão criado inquirindo a sua legitimidade em face às previsões constitucionais relativas à da expressão artística e à liberdade profissional. Este posicionamento demonstrou uma grande insatisfação na maioria dos músicos inscritos ou não na OMB, principalmente devido a algumas posições e atitudes adotadas pelo mesmo, e assim levantando um questionamento sobre algumas abusividades e arbitrariedades.

Neste estudo, procuram-se, por intermédio de uma pesquisa e discussão científica e crítica, os principais pontos deste conflito e também a fiscalização da atividade da profissão, realçando a carência de representatividade, a ser legitimada por meio de uma razoável justificativa: o manifesto interesse público.

 



(Ver trabalho completo)

 

Caius Marcelus Godoy 
caius.marcellus[arroba]associats.com.br

 
As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.