Restinga de Rio Grande

 

Esta é uma terra selvagem, no extremo sul do Brasil. Uma terra açoitada pelos frios ventos do inverno e pelo escaldante sol do verão.

Uma terra onde a vista se perde em um horizonte de imensidão e silêncio, apenas entrecortado pelos sons da natureza.

Esta terra, o limite sul da planície costeira que viria a se chamar Restinga de Rio Grande, permaneceu intocada até a segunda metade do século XVII, quando aqui chegaram os primeiros explorados luso-brasileiros. Antes disso, somente indígenas das nações chaná e tupi-guarani habitavam a restinga, coexistindo harmonicamente com uma diversidade de espécies e ambientes. Charruas, patos e outros grupos percorriam a planície caçando aves e pequenos mamíferos, pescando e coletando mariscos.

Entretanto, no começo do século XVIII, a introdução do gado e o crescente comércio do couro iniciam o processo colonizador da restinga.

Os nativos são rapidamente dizimados ou absorvidos como mão-de-obra e surgem os primeiros núcleos de povoamento. Em 1751, a Vila de São Pedro de Rio Grande, atual cidade do Rio Grande, passa a exercer o controle político-administrativo sobre todo o território que hoje constitui o Rio Grande do Sul.

No entanto a restinga mantém em grande parte sua fascinante beleza natural, como no período em que somente os nativos a testemunharam.

Banhados, lagos, arroios, matas, campos e dunas são partes das paisagens que constituem o cenário da Restinga de Rio Grande, palco de uma exuberante vida silvestre.

 



(Ver trabalho completo)

 

Fernando Marques Quintela
fmquintela[arroba]yahoo.com.br

 
As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.