Alimentação de codornas com milho moído e ração de postura no período pós-jejum durante a muda forçada e seus efeitos sobre o desempenho

Enviado por Mendes AA


1. Resumo

O experimento foi realizado com o objetivo de avaliar o desempenho de codornas poedeiras alimentadas por diferentes períodos com milho moído ou ração de postura durante sete dias após três dias de jejum, método de muda utilizado. Após esse período, as aves foram alimentadas com ração de postura durante as 20 semanas do período experimental. Utilizou-se um delineamento inteiramente ao acaso com três tratamentos (ração de postura por sete dias, ração de postura por três dias e milho moído por quatro dias e milho moído por sete dias), e quatro repetições de 24 aves por parcela. Os resultados mostraram que aves alimentadas apenas com ração de postura nos sete primeiros dias após o jejum apresentaram maior produção de ovos nas seis primeiras semanas do período de produção pós-muda. Porém, não foi constatado efeito de tratamento sobre a produção de ovos, peso dos ovos, consumo de ração e conversão alimentar durante as 20 semanas do período experimental.

2. Abstract

The experiment was conducted to evaluate layer quails performance fed in different periods with corn meal or laying diet during a 7-day post-molt period. Following this, birds were fed laying diet during the experimental period of 20 weeks. The experiment followed a completely randomized design with three treatments (laying diet during 7 days; laying diet ration during 3 days + corn meal during 4 days or corn meal during 7 days) and three replications of 24 birds per pen. The results showed that quails fed laying diet during 7 days post-molt presented larger egg production during the first six weeks of production period than the others receiving corn meal. However there was no effect of treatments on egg production, egg weight, feed consumption and feed conversion during the experimental period of 20 weeks

Unitermos / Keywords: codornas, muda forçada, produção de ovos

3. Introdução

As codornas poedeiras apresentam maturidade sexual precoce e ciclo produtivo longo, tornando rápida a reposição do plantel. Devido a isso, poucas informações utilizando técnicas de muda forçada para essa espécie são encontradas na literatura. Contudo, a elevada demanda por codornas de um dia tem ocasionado excessiva demora na reposição dos plantéis de produção. Se tecnologias adequadas com muda forçada em codornas pudessem ser efetuadas, a reutilização dos plantéis para um novo ciclo de produção poderia constituir-se em alternativa viável e econômica para a produção de ovos de codornas.

Muitos métodos de muda vêm sendo estudados em galinhas, como os que utilizam drogas (a progesterona e o acetato de clormazidona), os nutricionais, que modificam a concentração de determinados íons na ração como, por exemplo, cálcio e fósforo, sódio e potássio, iodo ou zinco e os métodos de manejo, que são os mais utilizados na prática (Casteló et al. 1989).

Para poedeiras comerciais, fatores como: custo das frangas para reposição, valor da carne das galinhas velhas, produção do lote, qualidade e peso dos ovos que se espera obter no segundo ciclo, preço dos ovos, custo dos alimentos, máxima utilização dos aviários, programas de reposição planejados e o próprio método de muda empregado devem ser observados.

Segundo Carbó (1987), não existe consenso entre os técnicos no que diz respeito à alimentação no período pós-jejum ou período de recuperação, também conhecido como período de repouso (Harms, 1983). Enquanto alguns autores recomendam dietas mais ricas em proteínas com o objetivo de melhorar o aporte de nutrientes para a regeneração do aparelho reprodutivo e a renovação da plumagem, outros autores sugerem uma dieta pobre em proteína, como o milho ou sorgo moídos, com o objetivo de aumentar o período de descanso do aparelho reprodutivo.

Len et al. (1964) e Harms (1983) reportaram que a alimentação de poedeiras com dietas contendo 8,2% de proteína durante o período de muda constitui-se em um bom método para controle de peso. Contudo, aves alimentadas com baixo nível de proteína na dieta atrasaram o retorno à postura, mas a produção de ovos aos 168 dias não foi influenciada pelos níveis de proteína na ração de muda. Estes trabalhos sugerem o uso de dietas contendo 8,27% de proteína durante o período de muda.

Lee (1982) estudou períodos de arraçoamento de 3, 5 e 7 semanas com ração de produção restrita em 68 g por ave/dia no período pós-jejum e a seguir ração à vontade. Foi observado que, no período inicial da produção de ovos (72-76 semanas), as aves que receberam os maiores períodos de arraçoamento proporcionaram ovos com albúmen mais alto e melhor espessura de casca. Considerando-se o período total (72-124 semanas), a percentagem de postura por galinha/dia foi positivamente correlacionada com o período de arraçoamento.

Com o objetivo de comparar o desempenho de poedeiras submetidas à muda forçada, alimentadas no período pós-jejum com dois níveis de proteína bruta (8,6% e 16,2%), Harms (1983) constatou que as aves alimentadas com ração contendo 16,2% de proteína apresentaram maior peso corporal e retornaram à produção significativamente mais cedo, resultando em produção inicial de maior número de ovos. Entretanto, após o pico de produção, o peso corporal, a produção de ovos, o peso e gravidade específica dos ovos não foram diferentes entre os tratamentos.

Andrews et al. (1987) compararam os efeitos da utilização de milho moído ou de ração com 16% proteína no período após o jejum. Contrariamente às citações anteriores, não foram encontrados efeitos significativos do tipo de dieta utilizada sobre a percentagem de postura por galinha por dia, número de ovos por galinha alojada, conversão alimentar, peso dos ovos, gravidade específica e peso da casca.

Também Zimmermann & Andrews (1987), comparando ração de desenvolvimento de frangas (3100 kcal/kg, 14,6% PB, 0,8% Ca) com dieta pré-postura (2920 kcal/kg, 15,5% PB e 2,0% Ca), não encontraram diferenças no número de dias necessários para a ave atingir 50% de produção, na percentagem de postura/galinha/dia, no número de ovos galinha alojada, no peso dos ovos, nas unidades Haugh, na gravidade específica, na conversão alimentar e na mortalidade. Contudo, foi observado que as aves alimentadas com ração pré-postura tiveram menor consumo de ração no período pós-jejum e pré-postura.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.