Cartografia sistemática e cartografia temática



 

As discussões sobre os novos rumos da Cartografia e o desenvolvimento de novas tecnologias culminaram em um 1991, numa nova definição de Cartografia pela Associação Cartográfica Internacional, na qual ela passou a ser considerada como a disciplina que trata da concepção, produção, disseminação e estudo de mapas. De forma muito sucinta, esta definição coloca a Cartografia como uma disciplina. A mesma que foi definida no início do século XX como ciência e arte, nos anos noventa não é mais ciência e nem arte; é uma disciplina.

No entanto, a mudança de definições não provocou alterações significativas no modo de pensar dos cartógrafos. Os dualismos ainda persistem, principalmente quanto arte e ciência, ciência e técnica, e revela diferenças que formam opiniões diversas. Entre as várias definições destacamos as seguintes: Fritsch (1990) define como a ciência e a técnica de representações de dados espaciais, incluindo as instruções de como utilizar tais representações cada vez mais transformadas espacialmente, considerando-se os sistemas de informações geográficas. Para Joly (1990), é a arte de conceber, de levantar, de redigir e de divulgar os mapas.

Segundo Taylor (1994), é a disciplina que trata da organização, apresentação, comunicação e utilização da geo-informação nas formas gráfica, digital ou tátil incluindo todos os processos, desde o tratamento dos dados até o uso final na criação de mapas e produtos relacionados com a informação espacial. É interessante observar que apesar dos autores apresentados pertencerem a um mesmo momento histórico de desenvolvimento da Cartografia, apresentaram definições totalmente diferenciadas.

Entre os autores brasileiros, destacamos duas definições: Barbosa (1967), que define a Cartografia como uma área auxiliar para as ciências e Sanchez (1981), como uma ciência entre as ciências e ao mesmo tempo, um instrumento das ciências que direta, ou indiretamente, se preocupam com distribuições espaciais.

As concepções apresentadas sobre a definição de Cartografia retratam sobretudo posturas teóricas e metodológicas diferentes. Verificamos ao longo do tempo - principalmente nos últimos anos sob a influência de novos recursos tecnológicos - que o conceito passou a considerar a possibilidade de elaboração dos mapas e de outros documentos cartográficos, não somente na forma analógica, mas também digital. Isto deu origem à utilização de uma nova linguagem como computação gráfica, cartografia automatizada ou cartografia digital.

No entanto, os princípios básicos da Cartografia permanecem válidos e a sua divisão em dois campos - sistemática e temática, continua valendo. O quadro 1 apresenta outras terminologias adotadas por diferentes autores para caracterizar os mapas nestes dois campos.

 


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.