Caracterização das Frações que Constituem as Proteínas e os Carboidratos, e Respectivas Taxas de Digestão, do Feno de Capim-Tifton 85 de Diferentes Idades de Rebrota1

Enviado por Rasmo Garcia


1. Resumo

Avaliaram-se a composição bromatológica, as frações da proteína bruta (A, B1, B2, B3 e C) e dos carboidratos totais (A, B1, B2 e C) e as respectivas taxas de digestão das frações B1, B2 e B3 de proteínas e das frações A + B1 e B2 de carboidratos e do feno de capim-tifton 85, obtido de plantas colhidas com 28, 35, 42 e 56 dias de rebrota, adubadas com 75 kg/ha/corte de N. Os teores protéicos dos fenos com idades de rebrota de 28 a 56 dias variaram de 17,58 a 12,58%. Os valores das frações protéicas A, B1, B2, B3 e C apresentaram-se, respectivamente, entre 22,10 e 35,53%; 0,24 e 4,55%; 30,37 e 31,34%; 26,55 e 36,62%; e 5,75 e 6,76%, como proporções da proteína bruta total, nos fenos com idades de rebrota entre 28 e 56 dias. As taxas de digestão das frações protéicas B1, B2 e B3 encontraram-se entre 0,319 e 1,324; 0,0724 e 0,0936; e 0,0077 e 0,012 h -1, respectivamente, nos fenos com idades de rebrota entre 28 e 56 dias. Os teores de carboidratos totais variaram de 72,98 a 78,77%, em fenos com 28 a 56 dias de rebrota. Os valores das frações A, B1, B2 e C de carboidratos apresentaram-se entre 2,73 e 5,44%; 1,91 e 2,35%; 77,49 e 80,59%; e 13,59 e 17,87%, respectivamente, como proporções dos carboidratos totais, em fenos com idades entre 28 e 56 dias de rebrota. As taxas de digestão das frações de carboidratos A + B1 e B2 encontraram-se entre 0,181 e 0,20 e 0,04 e 0,0466 h -1, respectivamente, em fenos com idades entre 28 e 56 dias de rebrota.

Palavras-chave: açúcares, amido, compostos nitrogenados, fibra em detergente neutro, lignina

Characterization of the Protein and the Carbohydrate Fractions, and the respective Degradation Rates of Tifton 85 Bermudagrass Hay at Different Regrowth Ages

2. Abstract

The chemical composition, crude protein fractions (A, B1, B2, B3 and C) and total carbohydrate fractions (A, B1, B2 and C), and respective degradation rate of B1, B2 and B3 protein fractions and A + B1 and B2 carbohydrate fractions of Tifton 85 bermudagrass hay from plants harvested with 28, 35, 42 and 56 days of regrowth, fertilized with 75 kg/ha/cut of N, were evaluated. The protein content of hays from 28 to 56 days of regrowth ranged from 17.58 to 12.58%. The values of A, B1, B2, B3 and C protein fractions presented between 22.1 and 35.53%; 0.24 and 4.55%; 30.37 and 31.34%; 26.55 and 36.62%, and, 5.75 and 6.76%, respectively, as a percentage of the total crude protein, in the hays with ages between 28 and 56 days of regrowth. The degradation rate of B1, B2 and B3 protein fractions presented between 0.319 and 1.324; 0.0724 and 0.0936, and, 0.0077 and 0.012 h -1, respectively, in the hays with ages between 28 and 56 days of regrowth. The total carbohydrates content ranged from 72.98 to 78.77%, for the hays with 28 to 56 days of age. The values of A, B1, B2 and C carbohydrate fractions presented between 2.73 and 5.44%; 1.91 and 2.35%; 77.49 and 80.59%, and, 13.59 and 17.87%, as a percentage of total carbohydrates, in hays with ages between 28 and 56 days of regrowth. The degradation rate of the A + B1 and B2 carbohydrate fractions presented between 0.181 and 0.20, and 0.04 and 0.0466 h -1, in hays with ages between 28 and 56 days of regrowth, respectively.

Key Words: lignin, neutral detergent fiber, nitrogen compounds, starch, sugars

3. Introdução

As plantas forrageiras, sob suas diferentes formas de utilização, constituem o principal componente da dieta de ruminantes. O sistema de Weende foi amplamente utilizado, durante aproximadamente um século, na quantificação da proteína e energia disponíveis nos alimentos. Atualmente, um novo sistema tem sido utilizado, o CNCPS (The Cornell Net Carbohydrate and Protein System), o qual avalia as frações protéicas e de carboidratos dos alimentos e utiliza equações que estimam a digestão e a passagem dessas frações, considerando a dinâmica da fermentação ruminal (SNIFFEN et al., 1992; RUSSEL et al., 1992; e FOX et al., 1992).

O CNCPS baseia-se na classificação dos microorganismos ruminais em fermentadores de carboidratos estruturais e de carboidratos não-estruturais (CNE). As bactérias que fermentam carboidratos estruturais utilizam amônia como fonte de N e aquelas que fermentam CNE utilizam amônia, peptídeos e aminoácidos. Em diferentes proporções, o N-aminoacídico alcançando os intestinos é de origem microbiana, o que significa que a eficiência do crescimento microbiano pode ter efeito pronunciado sobre o desempenho do animal (RUSSELL et al., 1992). Segundo NOCEK e RUSSELL (1988), a taxa de digestão do alimento no rúmen e, particularmente, o sincronismo entre a taxa de digestão das proteínas e dos carboidratos podem ter importante efeito sobre os produtos finais da fermentação e, conseqüentemente, sobre a produção animal.

Os alimentos utilizados na alimentação de ruminantes devem ser fracionados para adequada caracterização dos mesmos. A determinação das frações da proteína e dos carboidratos e a cinética ruminal, de alguns alimentos para ruminantes, foram realizadas por MALAFAIA et al. (1997, 1998), que verificaram para o capim-tifton 85, colhido com aproximadamente 60 dias de idade, contendo 10,22% de proteína bruta e 79,63% de carboidratos totais, proporções de 17,38; 2,54, 36,18; 26,95; e 16,95%, para as frações protéicas A, B1, B2, B3 e C, como porcentagem da PB total, e 5,5; 74,4; e 20,2%, para as frações de carboidratos A + B1, B2 e C, como porcentagem do teor de CHOS totais, respectivamente. As taxas de digestão das frações protéicas B1, B2 e B3 encontradas foram 1,913; 0,0129; e 0,0015 h-1, respectivamente.

Na avaliação das frações protéicas e de carboidratos, de alimentos volumosos e concentrados, CABRAL et al. (1999 a, b) verificaram proporções das frações protéicas A, B1, B2, B3 e C de 12,38 e 26,84; 9,17 e 4,03; 29,37 e 23,50; 40,82 e 34,23; e 8,26 e 11,40%, como porcentagem da PB total, para o capim-tifton 85 colhido ao atingir 30 (14,67%PB) e 50 cm (9,96%PB) de altura, respectivamente, adubado com 133 kg/ha/corte de N. As taxas de digestão das frações B1, B2 e B3 foram 0,616 e 1,22; 0,0165 e 0,0326; e 0,0049 e 0,0087 h-1, para as plantas colhidas com 30 e 50 cm de altura, respectivamente. Esses autores também encontraram proporções das frações de CHOS, A + B1 (solúveis em detergente neutro - SDN), B2 e C, de 14,67 e 11,87; 68,73 e 68,76; e 16,60 e 19,37%, como porcentagem dos CHOS totais, para o capim-tifton 85 colhido com 30 (78,12%CHOS) e 50 cm (81,47%CHOS) de altura, respectivamente. As taxas de digestão das frações SDN e B2 de CHOS foram 0,195 e 0,275 e 0,0384 e 0,0473 h -1, para as plantas colhidas com 30 e 50 cm de altura, respectivamente.

Análises das frações nitrogenadas e de carboidratos deveriam fazer parte da rotina laboratorial, por serem simples, não onerosas, e permitirem avaliação mais correta dos alimentos (MALAFAIA et al., 1997, 1998), pois os dados resultantes permitem a utilização do CNCPS para melhor estimativa do desempenho animal, por proporcionarem o melhor atendimento do sincronismo da fermentação de proteínas e de CHOS no rúmen.

Objetivou-se, com este trabalho, determinar o fracionamento de proteínas e de carboidratos e a obtenção das taxas de digestão das respectivas frações de proteínas e carboidratos, em fenos de capim-tifton 85, obtidos de plantas colhidas com 28, 35, 42 e 56 dias de rebrota.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.