A implicação da família no uso abusivo de drogas: uma revisão crítica



1. Resumo

Este artigo apresenta uma revisão crítica da literatura sobre a relação entre adolescência, família e uso abusivo de drogas. Discorre sobre a importância da inserção do sintoma drogadicção no contexto familiar e sociocultural para o entendimento de sua complexidade. A família é vista como uma das fontes de socialização primária do adolescente, juntamente com a escola e o grupo de amigos. As práticas educativas e os estilos de criação da família, com seus três diferentes tipos de controle parental, são ressaltados porque podem facilitar, ou não, o uso abusivo de drogas. Os resultados das pesquisas apontam para a importância de se engajar a família no tratamento do adicto e alguns estudos ampliam o foco para engajar contextos sociais múltiplos – família, amigos, escola, comunidade e sistema legal – no tratamento do adolescente que faz uso abusivo de drogas.

Palavras-chave: Adolescente, Família, Abuso de substância, Tratamento, Transtornos de uso de substância

2. Abstract

This article presents a critical review of the litterature about the relationship between adolescence, family and drug abusive use. Discusses the importance of inserting the drugaddiction symptom in the familiar and sociocultural context for the understanding of its complexity. Family, school and peers are seen as the adolescent primary socialization sources. Family educational practices and parenting styles, with its three different types of parental control, are emphasized because they can either facilitate, or not, drug abusive use. The researches results point to the importance of engaging the family in the addict treatment and some studies enlarge the focus to engage multiple social contexts – family, friends, school, community and legal system – in the drug abusive adolescent treatment. The results of the researchs point to the family educational practices and parenting styles that either facilitates, or not, drug abusive use, emphasizing the need to engage the family in the addict treatment.

Key words: Adolescent, Family, Substance abuse, Treatment, Substance use disorder

3. Introdução

Este artigo apresenta uma revisão crítica da literatura sobre o uso indevido e abusivo de drogas em geral e, de forma particular, por adolescentes. Focaliza, especificamente o lugar, o papel e a co-responsabilidade da família como instituição que elabora as relações primárias. A maioria dos textos revisados tem como objetivo socializar os conhecimentos; melhorar a qualidade do atendimento à população adicta; e subsidiar a implementação de políticas preventivas. A presente revisão abrange o período de 1995 a 2002 e ressalta como temas relevantes: a) o papel da família na tradução dos códigos culturais para os seus membros; b) a compreensão dos significados e condutas relativos ao uso de drogas; c) a participação das práticas educativas da família na construção do comportamento de seus membros; d) a implicação do sistema familiar com o desenvolvimento do uso indevido de drogas; e) e o engajamento da família no tratamento.

Por família se entende uma instituição privada, passível, neste mundo pós-moderno, de vários tipos de arranjo, mas basicamente tendo a função de socialização primária das crianças e dos adolescentes. Neste trabalho, parte-se do entendimento da adolescência como um período do ciclo vital em que a curiosidade por experiências novas e a troca e a influência do grupo de amigos são fundamentais. O uso das drogas aqui se inclui como fonte de socialização e como uma linguagem do adolescer e, quando acontece de forma abusiva, constitui-se num problema que pode repercutir em todo o processo posterior de vida do jovem.

Embora a atenção do adolescente esteja voltada para fora do lar e centrada nos grupos de colegas e amigos, para compreendê-lo torna-se necessário inseri-lo no contexto familiar e sociocultural, pois a família – nuclear e extensa – integrada à cultura é que fornece as bases para o seu desenvolvimento. Ela é o lugar privilegiado da socialização primária (Oetting & Donnermeyer, 1998) cuja proposição principal é o asseguramento de comportamentos normalizados pelo afeto e pela cultura. Por isso, a família é fundamental no tratamento do uso abusivo de drogas de seu adolescente.

O engajamento da família no tratamento é enfatizado por aqueles pesquisadores que comungam das premissas do paradigma sistêmico, ponto de vista metodológico da presente revisão bibliográfica. Em relação às drogas, cada cultura tem diferentes formas de regulação (Oetting & Donnermeyer, 1998) de tal modo que seu uso pode ser requisitado, tolerado ou sancionado. Cabe ressaltar que o termo "adicção", – "adicto", "drogadicção" – é aqui empregado no seu sentido etimológico próprio: como um estado de submissão e dependência do indivíduo, com restrita vontade. Conceito relacional que engloba um indivíduo submisso, com pouca ou nenhuma consciência de seus atos. A compreensão de seus comportamentos se dará através da abordagem sistêmica que busca decodificar as premissas relacionais ignoradas pelo adicto (Sudbrack, 2001).


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.