A trajetória do jornalismo impresso para o jornalismo digital

Enviado por Cristiane Ramos do Prado - cristianeungida[arroba]gmail.com


  1. Resumo
  2. Desarrollo
  3. Referências bibliográficas
  4. Anexos

RESUMO

Este artigo comenta sobre a importância do jornalismo digital, porque as informações ficam a disposição do internauta 24 horas por dia. Outro fator abordado, é o questionamento do autêntico webjornalismo, onde a transposição das edições de um veículo impresso nem sempre vão caracterizá-lo como um jornalismo eletrônico. Como estudo de caso é citado o Jornal Sul Brasil de circulação local e regional.

Palavras-chave: webjornalismo, interatividade, link e Internet.

SUMMARY

This article comments on the importance of the digital journalism, because the information are the disposal of internauta 24 hours per day. Another boarded factor is the questioning of the authentic webjornalismo, where the transposition of editions of a vehicle printed matter nor always goes to characterize it as an electronic journalism. As case study the South Periodical Brazil of local and regional circulation is cited.

Word-key: webjornalismo, interatividade, link and Internet

A trajetória do jornalismo impresso para o jornalismo digital

Muitos são os veículos que hoje aderem à rede para entrar na era digital, são publicações de caráter local e internacional, mas muitos deles estão "engatinhando" para o jornalismo eletrônico, porque apenas transferem suas edições impressas sem alterar o conteúdo adaptando-o para o webjornalismo, esse é o caso do Jornal Sul Brasil.

A tecnologia e a expansão do fluxo de informações está cada vez mais transformando a sociedade e seus hábitos. O ser humano, não precisa nem sair de casa para saber os fatos de sua região ou mesmo de outros lugares do mundo. É somente ligar o rádio, a televisão, ler o jornal impresso e / ou acessar à Internet. Atualmente, a Internet, é o veículo de comunicação mais revolucionário de todos os citados, por reunir várias formas (textos, vídeo e áudio), tudo ao mesmo tempo, com a finalidade de informar e atrair o internauta esteja ele onde estiver e a hora que quiser, pois o conteúdo fica disponível 24 horas por dia.

Conforme dados disponíveis no Ibope o acesso à Internet domiciliar no Brasil teve 12,2 milhões de usuários ativos em dezembro de 2005, um valor que aumentou em 12,4% em comparação com o ano anterior. Em todas as categorias aconteceu um aumento considerável, viagens e turismo viagens e turismo (93%), casa e beleza (67%), família e estilo de vida (48%), governo e empresas sem fins lucrativos (44%), educação e carreira (39%), automóveis (39%), informações corporativas (38%) e notícias e informações (33%). Por perceber este fato incontestável da importância da new mass media, as mídias tradicionais estão procurando se enquadrar através da implantação de seus sites.

O jornalismo digital representa uma revolução no modelo de produção e distribuição das notícias. O papel (átomos) vai cedendo lugar a impulsos eletrônicos (bits) que podem viajar a grandes velocidades pelas auto-estradas da informação. Estes bits podem ser atualizados instantaneamente na tela do computador na forma de textos, gráficos, imagens, animações, áudio e vídeo; recursos multimídia que estão ampliando as possibilidades da mídia impressa .

A partir da implantação do jornalismo na web ocorreu um novo segmento expansivo do meio informativo, o denominado webjornalismo, onde a atualização das notícias pode ocorrer ininterruptamente. Já não é preciso esperar o jornal ou o horário do noticiário televisivo ou radiofônico para saber os principais acontecimentos do dia. Para Luciana Moherdaui, isso propiciou novas formas de editar notícias na rede, a primeira por meio de informação online, em tempo real e a segunda através de sites de publicações, especialmente da mídia impressa, que começou a transportar à rede suas edições com uma linguagem igual a dos jornais que circulam nas ruas.

Em qualquer momento é possível acessar um webjornal e ler as notícias de interesse atualizadas, mas em pleno 2006, há inúmeras empresas jornalísticas no Brasil que ainda estão incluindo seus veículos impressos na era digital, com o mesmo padrão e factualidade do impresso, atualizado uma vez por dia ou ainda semanalmente. Como exemplo, a revista Elle e Capricho. Jornais/Revistas que muitas vezes são colocados na Internet com as mesmas características daquele que o leitor vê no papel, a única diferença é que ao invés de virar as folhas do jornal, o leitor, terá que dar alguns clicks ou baixar a barra de rolagem de seu computador, porque a notícia em si está na íntegra ao impresso.

De acordo com Elizabeth Saad Corrêa,

a simples transposição de conteúdos impressos para o online, sem tratamento editorial e mercadológico, não confere à empresa status de jornalismo online. Essa é uma função que é inerente e intransferível do jornalismo, seja qual for à mídia ou suporte de que ele se utilize.

Nesta linha de raciocínio tem-se a pergunta: O que difere o webjornalismo do jornalismo impresso? Ambos são jornalismo, mas o jornalismo impresso tem 24 horas para elaborar e concluir suas edições, que têm limites de espaço no papel, enquanto, o webjornalismo, não tem horário de fechamento, e a cada mais ou menos cinco minutos pode alimentar a página com novas informações da notícia que inclui no site, tudo é em tempo real e não têm limites de espaço, podem ser colocados quantos links internos achar necessário.

Entretanto, essas diferenças não têm sido observadas por todas as empresas jornalísticas que inserem na Internet suas versões do jornal impresso, pois quando o internauta acessa um endereço virtual destinado para o webjornalismo, ele se depara com páginas de jornal impresso com a pretensão de idealizar jornalismo digital, mas por não ter estrutura financeira e de profissionais ou ainda por outro motivo, não alteram nem se quer uma vírgula da edição impressa, inserindo na rede notícias iguais ao da edição em papel. Para Cavalcanti, "o digital não é uma evolução do impresso, mas sim uma nova forma de se apresentar informações" .

Cabe ao internauta dar audiência ou não a estas páginas, contendo notícias atrasadas. Enfim, o simples fato de estar na rede pode ser suficiente para um jornal se considerar do new mass media ou ele precisa ter características específicas para isso? Uma indagação que ronda na mente de quem procura entender o que é realmente jornalismo eletrônico. Bem no início da implantação do jornal impresso na rede, era comum a inserção das edições impressas sem alterar o conteúdo e a linguagem para o meio digital, mas apesar de hoje muitos webjornais estarem enquadrados no verdadeiro jornalismo online que alimentam suas páginas a cada minuto/hora, ainda existem muitas publicações de pequeno porte que continuam, atualizando seus endereços virtuais com notícias uma vez por dia/semana/mês, após o fechamento das edições do impresso.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.