Melhorando à qualidade de vida das pessoas com necessidades especiais através de terapias complementares

Enviado por Adriana Soares Lourenço Dos Santos - adrianalourencos[arroba]uol.com.br


Partes: 1, 2, 3
  1. Resumo
  2. Introdução
  3. Medicinas complementares
  4. A musicoterapia
  5. Reiki
  6. Cromoterapia
  7. A aromoterapia
  8. Nossa experiência
  9. Referências bibliograficas

"Quanto aos filhos de sujeitos sem valor e aos que foram mal constituídas de nascença, as autoridades os esconderão, como convém, num lugar secreto que não deve ser divulgado."

Texto de Platão em "A República".

RESUMO

Neste trabalho, uma revisão bibliográfica foi realizada com o objetivo de identificar terapias não tradicionais que descrevessem modalidades terapêuticas complementares, a serem usadas em pessoas com necessidades especiais, para proporcionar um bem-estar e equilíbrio físico, mental e emocional. As modalidades descritas foram Musicoterapia, Reiki, Cromoterapia e Aromoterapia. A Música pode reconstruir identidades, integrar pessoas, reduzir a ansiedade e proporcionar a construção de auto-estima positiva. O Reiki promove a restauração do equilíbrio das pessoas. É reconhecido pela Organização Mundial de Saúde como Terapia de Toque Vibracional, tendo seus princípios baseados na Física Quântica. A Cromoterapia assim como o Reiki, promove a restauração do equilíbrio vibracional através da interferência luminosa. A Aromoterapia baseia-se na utilização de um aroma puro ou composto e na premissa de que o melhor modo de prevenir a enfermidade é fortalecer os mecanismos de autodefesa do corpo. Ela ajuda a restabelecer a harmonia entre o corpo e a mente. No Acompanhamento Terapêutico, a pessoa com necessidades especiais é acompanhada na realidade de sua rotina diária, buscando sua reintegração às diversas situações integrativas na sociedade. As Terapias Complementares permitem a melhora da memória, reduz a tensão emocional, a depressão, a ansiedade e a irritabilidade, promove relaxamento e maior sentimento de autodomínio. Toda atividade deve estar integrada a um plano terapêutico global para cada usuário e fazer parte de uma programação terapêutica que pode ser usada também como uma ferramenta educacional.

Descritores:

Educação Especial; reiki; cromoterapia; musicoterapia, aromoterapia,

HEADING: IMPROVING TO THE QUALITY OF LIFE OF THE PEOPLE WITH NECESSITIES SPECIAL THROUGH COMPLEMENTARY THERAPIES

AUTHORS: ANTÔNIO JOSÉ LOURENÇO DOS SANTOS E
ADRIANA SOARES LOURENÇO DOS SANTOS

PERSON WHO ORIENTATES: Ms. Rodrigo Marcelino de França

ABSTRACT

In this work, a bibliographical revision that was accomplished with the objective of identifying therapies non traditional that they described complemented therapeutic modalities, they be used in people with special needs, to provide a well-being and physical, mental and emotional balance. The described modalities were Music-therapy, Reiki, Color-therapy and Aromatherapy. The Music can reconstruct identities, integrate people, reduce the anxiety and to provide the construction of positive self-esteem. Reiki promotes the restoration of the people balance. It is recognized by the World Organization of Health as Therapy of Toque Vibration, tends your beginnings based on the Quantum Physics. Color-therapy as Reiki, promotes the restoration of the vibration balance through the luminous interference. Aromatherapy bases on the use of a pure or composed aroma and in the premise that the best prevent way the illness is to strengthen, the body mechanisms of self-defense. She helps to reestablish the harmony between the body and the mind. In the Therapeutic Accompaniment, the person with special needs is accompanied in reality of your daily routine, looking for your reintegration to the several situations integrative in the society. The Complemented Therapies allow the improvement of the memory, it reduces the emotional tension, the depression, the anxiety and the irritability, it promotes relaxation and larger self-control feeling. All activity should be integrated into a global therapeutic plan for each user and to do part of a therapeutic programming that can also be used as an educational tool.

Descriptors:

Special Education; Reiki; Color-therapy; Music-therapy, Aromatherapy,

1 - INTRODUÇÃO

É do conhecimento dos profissionais, que lidam com as pessoas deficientes, e em especial com o problema da integração social, que esta é uma questão, que acompanha os homens, desde os tempos mais antigos da civilização. Porque a sociedade, em diferentes épocas de nossa história, demonstrou atitudes de discriminação e menosprezo a essas pessoas.

A prática social de não ver o lado negativo das relações sociais acompanha claramente os mecanismos de segregação, de separação ou de exclusão social. A segregação tem como objetivo isolar do seio da sociedade as minorias que se diferem da média social.

Atitudes segregacionistas podem ser encontradas, onde os deficientes eram eliminados, em culturas onde a primazia do coletivo sobre o individual prevalecia. Merece destaque a sociedade grega, na qual o deficiente era abandonado ou jogado em precipícios. Também o desconhecimento das causas das doenças e anomalias que acometiam as pessoas, como o caso dos leprosos que eram separados da sociedade.

Podemos até afirmar que o apogeu da rejeição e da exclusão legalizada, ocorreu na Idade Média, onde não só se faziam desaparecer pessoas deficientes, mas também todas as que tivessem crenças e comportamentos diferentes dos veiculados pela religião dominante na época.

No Brasil, se rastrearmos nossa história, perceberemos que nos quatro primeiros séculos, nada se fez a favor das pessoas com necessidades especiais. Os mesmos mecanismos criados, a partir da ignorância, a cerca das doenças, que contribuiria, para que antigamente os leprosos fossem levados para cavernas distantes, contribuem atualmente para que os aidéticos sejam isolados.

Isso ainda ocorre, porque, em essência, poucas foram às modificações ocorridas nas relações sociais. A Inclusão então exige a valorização das capacidades e não das diferenças das pessoas. O foco deve estar no equilíbrio adequado do papel das instituições, onde devemos perguntar:

  • Tivemos sucesso em melhorar o bem estar das pessoas com de deficiências?

Na busca de uma melhor integração e interação, da pessoa com necessidades especiais na sociedade, deveremos começar com os profissionais que estarão envolvidos neste processo sejam eles professores ou especialistas. Antes de tudo, todos deverão ter uma visão generalista e holística dos deficientes. O termo Holístico traz consigo um alcance (do grego "Holos = todo, total") defendendo que o corpo físico não pode ser tratado isoladamente. Em outras palavras, em seu enfoque leva em conta todos os níveis do ser humano (físico, energético, emocional, mental, psicológico, etc.) e não só da parte física e seus sintomas, considera que estes níveis estão interligados e se afetam mutuamente. Desse modo, sintoma ou doença física é considerada apenas um efeito de desarmonia entre os níveis.

Papiros encontrados no Egito relatam que fazia parte da medicina Egípcia o uso de Cristais, pedras preciosas, cores, sons, perfumes, "encantamentos" (sugestões mentais) e doações de energia pelas mãos. Assim sendo, após uma cuidadosa avaliação individual, a equipe multidisciplinar indicará o tratamento mais adequado. É importante salientar que a estrutura e o ambiente escolar devem também estar adaptados para receber e compensar as deficiências destas pessoas, e nada melhor do que os professores e especialistas para estruturarem esses locais; tudo isso em busca de uma melhor socialização dessas pessoas e também torná-los o mais independente possível.

Partes: 1, 2, 3

Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.