Página anterior Voltar ao início do trabalhoPágina seguinte 


A influência da nutrição no desenvolvimento cognitivo da criança e a educação pré–escolar (página 4)

Maria Chica José João
Partes: 1, 2, 3, 4

9. - Grupo de Controlo

N/o

Crianças

Resultados

%

01

2 crianças

Suficiente

20

02

1criança

Médio

35

03

2 crianças

Bom

45

OBS: As crianças na comparação dos resultados Pré-Escolares obtiveram o

seguinte:

Suficiente – 2 crianças

Médio – 1 criança

Bom – 2 crianças

Recomendações

Em função dos resultados da nossa investigação recomendamos o seguinte:

- De acordo com a insuficiência que abrange a nossa Província, relativamente à infância, são necessários a reconstrução das infra-estruturas e pessoal especializado para o efeito porque este trabalho visa dar o contributo à formação multifacética do homem novo.

- Angola, país vastíssimo, encerra em si o germe da solução. Ubérima, produtiva, rica dá centuplicado tudo quanto for trabalhado, como convém. Dará também pastagens suficientes aos rebanhos produtores de leite. Basta somente acção. Trabalhemos, trabalhemos para a reconstrução do homem novo.

- Um dos deveres primordiais da família é, portanto, estudar os programas atinentes à alimentação e à preparação de alimentos saudáveis como torná-los eficientes, em não desicumbir-se desta obrigação tão meritória fornecendo alimentação melhor preparada para os membros da sua família.

- Segundo a nossa investigação, para um desenvolvimento cognitivo da criança e educação pré escolar, recomenda-se a seguinte merenda adequada para o efeito: 1 verdura: verdes e amarelas, cruas e cozidas. 2 Frutas: pelo menos duas espécies de frutas diariamente; uma destas espécies deve ser de frutas cítricas ou tomate. 3 Batatas, leguminosas e tubérculos. 4 Cereais e pão de grau duas ou 3 fatias de pão e um prato de cereal integral para cada pessoa. 5 Leite; a quantidade já considerada há pouco pode ser natural, leite em pó condensado, ou sobre a forma de queijo, coalhada, etc. 6 Um ovo por dia ou pelo menos 3 vezes por semana. 7 Manteiga ou substituto. Quer uma quer outra, estas duas espécies de gordura devem ser enriquecidas com vitamina.

Na questão económica e pobreza recomendam-se bastante os alimentos de proteínas vegetarianas.

CONCLUSÕES

  1. Os resultados apresentados no quadro 1, 2 e 3 configuram que existe relação entre a influência nutricional e o desenvolvimento cognitivo na etapa Pre – Escolar na amostra estudada.
  2. As crianças que apresentam nutrição normal e moderada obtiveram desenvolvimento cognitivo adequado e melhor aproveitamento Pré–Escolar nas actividades educativas no teste de forma e confirma a hipótese condicional por nós levantada
  3. A influência da nutrição é importante para atingir um bom desenvolvimento e o aproveitamento Pré–Escolar, segundo o cronograma no quadro comparativo do aproveitamento pré - escolar
  4. Os testes aplicados permitem determinar a influência da nutrição no desenvolvimento cognitivo e o aproveitamento Pré–Escolar das crianças em estudo.
  5. O aproveitamento Pré–Escolar no bairro da Chiva zona B é debil por parte do grupo de controlo visto que sua dieta, assistência médica, avaliação nutricional e o teste de forma são controlados no ambiente familiar a distância dos especialistas. O aproveitamento Pré–Escolar é satisfatório no grupo de experimentação porque houve cumprimento de horário e um acompanhamento dos especialistas dentro dum Centro suplementar.

Bibliografia

  1. Alleyne, G.A.O. Hay, R.W; Picou, D.I.M. Stanfield, J.P. and Whited R.G.(1977). Protein Energy malnutrition, Edward Amold, Londom.
  2. Briend, A and Goldem M.H; (1993). Treatment of severe child malnutrition in refugee camps. European Jaumel of climecel nutrition, 47, 750-4
  3. Brooke, O. G. and Salvosa C. (1973). The respouse of malnousished babies to cold, Jornal of Physiology, 233, 75-51.
  4. Golden, M.H ( 1982); trense elemants, in human mutrition, human Nutrition: Clinical Nutrition, 36, 285-202.
  5. Golden, M.H. (1985). The Consequences of protein deficieneyin mam and its relationship kwaschiorkor, In: Nutritionel adaptation in man (ed -K. L.Blaxter and J.C.Waterlow), pp. 169-87. John Libbey, London
  6. Golden, M.H. ( 1991). The nature of nutritional deficiency in relation to growth failure and poverty. Acta paediatrica Scandivertica, 374, 95-110.
  7. Golden, M.H., and Rendath, D.D. (1987). Free radicals in pathogenesis of Kwaschiorkor. Procedings of the nutrition Society 46, 53, 68.
  8. Waterlow, J.C. (1992) Protein energy, malnutrition. Eduard Amold London.
  9. Ulrich DiekMeyer-o desenvolvimento da criança.
  10. Material de estudo – curso de educadores social de infância ( a criança na comunidade )
  11. Colectivo de autores. Metodologia de ensino Psicologia editorial de livros para lá education 1980
  12. Quinta Isaura (1990) Colecção pensar a família. – 10 viver com a criança.
  13. Trabalho Cientifico dos estudante do ISCED 2004/05.
  14. Minars-ICRA.- Psicologia Pré-escolar.
  15. UNICEF – colecção material de infância.
  16. Metodologia e técnica de ensino.
  17. Editora GUANABARE KOOGEM RICHARD E BHRIYAN M.D professor and Chiemem
  18. Fundamento de Enfermagem 4ª Edição com ilustração colorida volume II Guanabara Kooj Potter perry
  19. NELSON- princípios de Enfermagem, conceito processo e pratica. ( Potter Perry) Guanabar Koogem ilustração colorida volume I
  20. I.C.R.A (Instituto religioso de Angola). Reside no acervo de documento do desenvolvimento da criança.
  21. Enfermagem comunitária, promoção de saúde de grupos indivíduos.
  22. Livro de enfermagem onde não há médico.
  23. Stanhope. Lancester: ( A bouzahs C. Roysten E. Excessiva hazud – hirth in Thurd Word ( quarta edição em Inglês); Primeira edição em Português Lisboa 1999.
  24. Marcia Stanhope, RN, DSN, FAAN.
  25. Janette Lancesten, RN, PHD. FAN.
  26. Tradução e revisão tecnica de Maria Adelaide Pedreiro Raiva Pinta. Maria Anabela Ferreira dos Santos.
  27. Dicionário Psicologia, Doron, Roland, Parot, Françoise.
  28. Bíblia Sagrada, Géneses, Segundo livro nutrição e vigor.
  29. Augusto Saraiva Introdução a Psicologia – Platono editorial SARL – Lisboa 1977.
  30. Doutor António A. De Miranda ( Medico Sócio de associação Paulista de medicina ) Nutrição e vigor ( tua comida seja o teu melhor remédio ) decima edição 210º milénio, casa publicadora brasileira Santo André São Paulo.
  31. Nelson princípio de pediatria volume I e II.
  32. William Good – A estrutura da Família, Lisboa 1978.
  33. Material Psico pedagógico (utilizado no segundo ano Psicologia desenvolvimento cognitivo ISCED FASCICULO Doutor Alfredo Maria de Jesus.
  34. António Gomes Penna Introdução a Psicologia cognitiva segundo volume.
  35. Bernardo SPODEK (ORG) Manual de investigação em Educação de infância. Tradução Ana Maria Chaves. Revisão cientifica de Teresa Vasconcelos serviço de Educação e Bolsas Fundação Calouste GULHENKIAN / LISBOA.
  36. Programa nacional de técnicos sociais e de infância – Luanda 2002.
  37. Dicionário Universal Língua Portuguesa (Novos Vocábulos Antropónimos, Topónimos e Estrangeiremos) , Edição Revista actualizada; Luanda Editora.
  38. Textos de apoio sobre a organização e desenvolvimento da comunidade ministério de assistência e Reinserção social apoio didáctico Luanda 1999.
  39. Normas de manuseamento de mal nutrição aguda. Despistagem e triagem, mal nutrição moderada, mal nutrição severa. Programa nacional de nutrição – UNICEF Dezembro 2001
  40. Fascículos do programa nacional de capacitação de professores do I Nível Luanda Novembro 2004

Anexos

Anexo I

No plano de observação vamos aplicar atentamente os sentidos físicos a um objectivo para dele adquirir conhecimento.

  1. Vamos observar
  2. As crianças da pré – escolar dos 3 aos 5 anos.
  3. Famílias das crianças
  4. As suas habitações e o seu meio.
  5. Os nutrientes essenciais para o consumo.
  6. Objectivo:

  7. Conhecer as condições de vida e nutricionais das crianças no bairro da Chiva zona B.
  8. Lugar

  9. Bairro da Chiva zona B.
  10. Tempo

  11. 2 horas.
  12. Indicadores do estado nutricional

  13. Área corporal, aparência geral, peso, altura, postura muscular e controlo do desenvolvimento cognitivo.
  14. Expressão do rosto, pele, cabelo, pescoço, lábios, pele língua. Gengivas, olhos e o esqueleto.
  15. Crianças de 3 aos 5 anos.
  16. Avaliar o desenvolvimento
  17. Foram entrevistados:
  18. Famílias de crianças na comunidade.
  19. Educadores sociais e de infância.
  20. Médicos de pediatria.
  21. Professores
  22. Psicólogos
  23. ANEXO. 2

    Tipo de entrevista: Dirigida aos familiares das crianças

    A entrevista foi utilizada para obtenção de dados que interessam à investigação.

    Objectivo: conhecer a alimentação básica que oferece as crianças que estão na etapa pré – escolar. Gostariam de fazer algumas perguntas que nos irão permitir compreender como está composta a sua família, categoria nutricional, (tipo de alimentação), desenvolvimento cognitivo, e a educação pré – escolar das crianças no bairro da Chiva zona B.

    - Nome da pessoa entrevistada

  24. Idade
  25. Peso
  26. Altura
  27. Sexo
  28. Relação afectiva, família e criança
  29. Entrevista às famílias das crianças envolvidas nos dois grupos. Grupo de controlo e o grupo de experimento.

    • Quantas vezes a senhora cozinha durante o dia?
    • Que nutrimentos a senhora utiliza no pequeno almoço, almoço e jantar?
    • Quantas vezes a senhora cozinha com carne, couves, feijão ou ervilha?
    • Quantas vezes a mãe cozinha durante o dia?
    • Que alimentos nutritivos cozinha durante a semana?
    • Quantas crianças comem no mesmo prato?
    • Qual é a ocupação do pai e da mãe na vida quotidiana?
    • Que actividades gostam mais, as crianças na etapa pré-escolar?

    ANEXO N.º 3

    Na base do paradigma teórico de Guanabara Koogen, apresentamos o resumo das principais vitaminas e sua correspondente influencia no desenvolvimento cognitivo e físico da criança, conforme o anexo 3

    Vitamina e sua influência nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina A ( retinol )

    Funções

    Resultado da deficiência

    Resultado do excesso

    Sinais precoces

    Fontes

    • Componentes necessárias na formação do pigmento ( púrpura visual).
    • Formação e manutenção do tecido epitelial.
    • Crescimento ósseo e desenvolvimento dentário normal.
    • Envolvida na formação da tiróide
    • Antioxidante

    Cegueira nocturna Xeroflamina .

    Esmalte dentário.

    Retracto do crescimento.

    Comprometimento da

    Diminuição da formação da tiróide

    • Inutilidade, anorexia, prurido fissuras nos cantos do nariz e dos lábios
    • Fragilidade óssea

    Sinais tardios

    • Retardo de crescimento orneia longo com dor

    Forma – natural fígado, rins, olhos de peixe e lacticínios, cenouras, couve – flor repolho, alface ( leite ) peixe nata de ovo.

    Considerações gerais : estimular o consumo da alimentação rica em vitamina A; como leite integral.

    1. Incentivar o consumo de alimentos ricos em vitamina A
    2. Aconselhar aos pais volume e uso seguro de suplemento nas crianças.

    Vitamina e sua influência nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina B 1 ( tianina )

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    1. Necessidade para o sistema nervoso

  30. Apatia, fadiga instabilidade emocional.
  31. -Reflexo tendencioso
  32. -Convulsões e coma
  33. - Edemas
  34. -Cefaleia

    -Irritabilidade

    -Insónia

    -Pulso rápido

    -Carnes de porco

    -Carne de vaca, fígado, nozes

    -Arroz integral

    Considerações gerais da vitamina B ( tianina )

    -Estimular o consumo de alimentos ricos em vitamina B.

    -Frisar a necessidade de técnicas de cozimentos e conservação apropriada a fim de preservar o valor vitamínico como acção.

    -Alertar os pais contra dietas escontricas que limitam acentuadamente os alimentos.

    -Melhorar a necessidade de suplemento vitamínico, se o indivíduo estiver fazendo dieta ou quando for utilizado.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Niacina Acido Nicotinico

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    • Neacina para sistema nervoso normal, a pele e digestão.
    • Pode reduzir o colesterol

    -Pelegra

    -Peso diarreia fadiga.

    -Apetite

    -Ansiedade

    -Confusão

    -Depressão

    -Prurido

    -Carnes, aves, peixe, amendoim, feijão, ervilha.

    Condições gerais - iguais das vitaminas do complexo

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina B 2

    Riboflavina

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    - Mantém a pele saudável

    -Aniboflavina

    -Lábios nos cantos da boca inflamação.

    -Língua, emamelhorada.

    -Nariz irritação e rachadura no angulo nasal. Olhos: Queimação prurido, lacrimejo.

    -Catarata

    Pele

    -Saboreia retardo de cicatrização de ferida.

    - Parestesia prurido

    -Leite, derivados ovos, fígado, rins, coreco, cereais,

    -Enriquecimento alguns vegetais veredas e legumes

    Vitamina e sua influencia Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina B 6

    Riboflavina

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    A queda na conservação do corpo

    -Dermatite perda de peso

    -Anemia

    -Retardo no crescimento

    -Irritabilidade

    -Convulsões

    • Toxidade do sistema nervoso periférico
    • Gestos desajustados
    • Pode causar úlcera ou convulsões.

    -Frutos, carnes levedura soja rins, frango

    Considerações gerais: Não mergulhar o alimento em água, conservar em recebimento escuro.

    -Cozedura em pequenas medidas de água.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina B 2 C Ácido Ascórbico

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    - Aumenta a conservação do ácido fólico

    - Aumenta a absorção do ferro para a formação da hemoglobina

    -Escorbuto

    -Pele seca, escura, músculos esqueléticos músculos, articulações e gengivas.

    -Aumenta a infecção Irritabilidade

    - Emagrecimento

    - Morango, tomate, couve - flor

    Considerações gerais : investigar a dieta da criança à procura de fontes vitamínicas; salientar o leite de vaca. Estimularão consumo de alimentos ricos em vitaminas.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Vitamina E

    Tocaferol

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    protecção do fígado.

    fraqueza muscular

     

    -Carne de boi vegetais verdes

    Vitamina e sua influencia Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Cálcio

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    -Desenvolvimento dos ossos, dentes.

    -Condução nervosa

    -Comprometimento, sobretudo dos ossos e dentes

    -Sonolência

    -Redução da absorção de outros sais minerais (ferro)

    -Insuficiência renal

    -Lacticínios

    -Agua de ovo vegetais, com as verduras

    Considerações gerais: alimentar o consumo de elementos ricos em cálcio

    Vitamina e sua influencia Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Cloreto

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    -Esqueleto

    -Activação na saliva

    -Distúrbio do esqueleto

    - Distúrbio do esqueleto

    -Sal, carnes lacticínios

    Considerações gerais : A deficiência e o excesso na maioria das dietas fornecem excesso podem provocar redução de cloreto.

    Vitamina e sua influencia Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Flúor

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    - Formação de dentes resistentes às carnes.

    - Desenvolvimento ósseo

    - Sustentabilidade.

    - Aumento e/ou depressão do esmalte.

    - deformções ósseas graves

    - Fractura

    -Agua, peixe, chá.

    Considerações gerais : em área com água que adequadamente fluoretadas estimar a ingestão suficiente de água para suprir a quantidade reconhecida.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Fósforo

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    - Desenvolvimento dos ossos e dentes em combinação com o cálcio

    - Fraqueza e mal estar dos ossos

    - Produz deficiência secundária de cálcio, por alteração de relação entre cálcio e fósforo.

    -Ovos, carne, aves legumes refrigerantes.

    Considerações gerais : A deficiência dietética é um caso prolongado permanente bossa furiosa deficiência neste caso recomenda – se suplementação para presença e relação entre o cálcio e o fósforo

    Vitamina e sua influencia Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Sódio

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    -Equilíbrio

    -A queda e contracção muscular.

    - melhora o sistema nervoso

    -Convulsões

    -Edema

    --Hemorragia intracraniana

    -Sal de cozinha fruta do mar, carne, aves

    Convulsões gerais : A ingestão deficiência e muito

    -Podem ocorrer parede sanguínea, náuseas, vómitos.

    -Incentivar os pais a limitar o uso excessivo do sal na alimentação.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Carbolamina vitamina D

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    -Funções óssea, muscular

    funcionamento do tecido nervoso

    -Deficiência da medula espinal.

    -Retardo do crescimento e desenvolvimento do cérebro

    -Raro

    -Carne de fígado, frutas, aves, ovo, leite, vegetação marinha.

    Considerações gerais: iguais ao do complexo B

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Calecalciferol vitamina D

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    -Raio solar directo

    -Raquitismo amolecimento craniano.

    -deformação craniana.

    -Atraso no fechamento das fontanelas.

    -Tórax amontado de funçõe das costelas.

    -Lentidão mental

    -Dor óssea.

    -Convulsões

    -óleo de bacalhau de fígado. Cevada, atum, sardinhas alimentos enriquecidos de leite.

    Vitamina e sua influência Nutricional no desenvolvimento cognitivo e físico

    Acido fólico

    Folacina; A forma

    Funções

    Deficiência

    Excesso

    Fontes

    - Para a formação celular.

    -Anemia

    -Disfunção da medula óssea

    -Consiste na absorção; intestinal.

     

    Pode provocar irritabilidade

    -Vegetais verdes.

    Repolho, fígado, rim, nozes, ovos, bombo.

    Considerações gerais: conservação e utilização de folhas verdes.

     

    DECLARAÇÃO

    Eu Maria Chica José João, estudante do Curso de Ciência de Educação na opção de Psicologia; Declaro por minha honra, que elaborei o presente trabalho fazendo o uso dos conhecimentos adquiridos e da Bibliografia que esteve ao meu alcance e que faço referência.

    Dados da Autora

    Maria Chica José João, casada de 45 anos de idade filha de José Luís e de Adelina Augusta Chilombo, natural do Huambo, Província do Huambo.

    FORMAÇÃO ACADÉMICA

    Ensino Primário _________________________________________ 1967/1971

    Ensino Secundário _______________________________________ 1972/1974

    Ensino Médio ___________________________________________ 1988/1992

    Ensino Superior __________________________________________ 2001/2005

    CURSOS PROFISSIONAIS

    Curso Básico de Formação de Professores ____________________1979/2000

    Curso Básico de Formação de Quadros de Assistência Social_____ 1985/1986

    Curso Técnico de trabalho social e de Infância __________________ 1999/2000

    Curso Técnico de Formadores Sociais __ _____________________ 1985/1989

    Curso de Secretariado ____________________________________ 1975/1976

    Curso de Nutricionista ____________________________________ 1993/1999

    Curso de elaboração de Projectos ______________________________ 1995

    Curso Médio de Saúde e Enfermagem Geral __________________ 1988/1992

    Curso de Ciência de Educação _____________________________ 2001/2005

    EXPERIÊNCIA DE TRABALHO

    Trabalhos com Comunidades _____________________________ 1986/2007

    Coordenadora dos Centros Sociais de Infância e 3ª idade _______ 1996/2002

    Trabalhos com as ONG´s ________________________________ 1986/2007

    Trabalhos de Nutrição __________________________________ 1986/2007

    Professora de ensino primário – Ukuma _____________________ 1983/1984

    Coordenadora Pedagógica e Professora na área de Educação-Huambo__ 1975/1985

    Educadora Social e Infância ________________________________1986/2007

     

    Maria Chica José João

    chicahbo57[arroba]yahoo.com.br

    TESE APRESENTADA PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

    Opção: PSICOLOGIA

    AUTOR: Maria Chica José João

    TUTOR: Dr. Alfredo Maria De Jesus Paulo

    CO- TUTORA: Mse Dra. Maria Suz Pompa

    UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO

    INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

    I.S.C.E.D.

    DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE EDUCAÇÃO

    SECTOR DE PSICOLOGIA

    HUAMBO

    Huambo, Setembro 2005

Partes: 1, 2, 3, 4


 Página anterior Voltar ao início do trabalhoPágina seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.