O Uso do Planejamento Estratégico aliado ao Balanced Scorecard: um estudo de caso com um pequeno negócio de serviços de profissões regulamentadas

Enviado por David Kallás


Índice de Figuras

Índice de Tabelas.

Índice de Quadros.

Abstract: Planning is a natural and almost intuitive activity in our lives. Often, it becomes so spontaneous that we do not give to it its proper relevance, because we run the risk of confuse the planning with the day life activities. The usage of a structured method is an effort that helps companies to respect the importance of the strategic planning. Nevertheless, to guarantee the real translation of the strategy into operational terms, it is necessary to take some regards into consideration, as recommended by the balanced scorecard model. This paper presents a case study of the application of the strategic planning associated to the balanced scorecard for a small regulated services company.

Resumo: Planejar é uma atividade natural e praticamente intuitiva na vida das pessoas. Por vezes, isto se torna tão espontânea que não damos sua devida importância, pois corre-se o risco de confundir as atividades de planejamento com o dia a dia. A utilização de um método estruturado é um esforço que ajuda às empresas a respeitar a importância do planejamento estratégico. Entretanto, para que se garanta que a estratégia seja realmente traduzida em termos operacionais, são necessários alguns cuidados complementares, sugeridos pelo modelo baseado no balanced scorecard. O artigo apresenta um estudo de caso da aplicação do planejamento estratégico associado ao balanced scorecard para uma pequena empresa de serviços de profissões regulamentadas.

Introdução

"Planejamento é algo que fazemos antes de agir; isto é, tomada antecipada de decisão. É um processo de decidir o que fazer, e como fazê-lo, antes que se requeira uma ação. Se desejarmos certa situação em algum tempo , no futuro, e demora-se para decidir o que fazer , e como fazê-lo, devemos tomar decisões necessárias antes de agir. Se essas decisões pudessem ser tomadas rapidamente sem perda de eficiência, não seria necessário planejar (ACKOFF:1978)".

Por vezes, a repetição pode tornar o processo de planejamento tão automático que este passe a ser feito inconscientemente. Enquanto se trata de decisões do dia a dia, como a escolha da vestimenta a ser usada ou o trajeto a ser seguido para ir ao trabalho, não há maiores problemas. Quando questões de maior relevância são tratadas com a mesma displicência, entretanto, os resultados podem assumir contornos mais expressivos De acordo com dados do BNDES, As micro, pequenas e médias empresas representam cerca de 98% do total de empresas existentes no Brasil, respondem por cerca de 60% dos empregos gerados e participam com 43% da renda total dos setores industrial, comercial e de serviços. Apesar de toda esta representatividade, o índice de mortalidade da micro e da pequena empresa no país é alarmante (vide Tabela 1). Enquanto a taxa de mortalidade entre dez. 96 e dez. 97 foi de 9% para as pequenas empresas, este número chegou a 25,3% para as micro empresas.

Tabela 1 – Criação e Fechamento de Estabelecimentos no Brasil – 1995/97.

Fonte: NAJBERG, PUGA & OLIVEIRA (2000: 38).

Vários podem ser os fatores responsáveis por estes índices. Entre eles, pode-se colocar a ausência de um planejamento estruturado.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.