O mundo das drogas



    1. Introdução
    2. O que é uma droga?
    3. O que é um adito ou dependente?
    4. Por que as pessoas abusam de drogas?
    5. Como é que as drogas ingressam no corpo
    6. A circulação das drogas no corpo
    7. O sistema nervoso central
    8. Os neurotransmissores
    9. A droga e o cérebro
    10. Classificação das drogas psicoativas
    11. Tolerancia – dependência – abstinência
    12. Drogas no esporte
    13. Drogas e gravidez
    14. Conclusão.
    15. Bibliografia

INTRODUÇÃO:

Nosso mundo já passou por todas as crises que possamos imaginar. É possível que o constante martelar dessas crises seja a causa da passividade com que as autoridades e a população em geral assistem de forma inerte, a propagação do uso indevido de drogas em nosso país.

Antes era uma coisa reservada aos movimentos rebeldes, mas hoje tem ultrapassado todas as fronteiras sociais, econômicas, políticas e nacionais e internacionais.

Está comprovado que nos bairros mais sofisticados, nos escritórios e em reuniões sociais, adolescentes, jovens, adultos, e o que é pior, muitas crianças inocentes e indefesas estão sendo arrastados ao vício e à distribuição de drogas. Esse aumento pode ser atribuído a vários fatores, entre os que figuram a falta de informação fidedigna sobre os perigos a longo e curto prazo do consumo de drogas; ao caráter limitado das atividades preventivas (quase que inexistentes em nosso país), e a falta de consciência sobre a magnitude do problema dos estupefacientes.

Os problemas do uso indevido de drogas têm sido descritos como um excesso de consciência nos jovens e uma falta de consciência entre os adultos.

Nos estados Unidos da América, George Gallup, fez uma pesquisa entre os adolescentes, pedindo que mencionasse qual era a principal ameaça para sua geração. A resposta foi a seguinte:

1° = O abuso de drogas – 35%

2° = O desemprego – 16%

3° = O abuso do álcool; e

4° = A pressão dos amigos.

O triste de tudo isso é que os adolescentes estão conscientizados e preocupados com o perigo das drogas, e, lamentavelmente, parece que nossas autoridades Municipais, Estaduais e Federais não levam o assunto a sério, apesar de toda a justificativa que apresentam sobre o tema, como se fossem pessoas que, verdadeiramente encaram a questão das drogas e do álcool com seriedade.

Na atualidade uso de drogas nos Estados Unidos da América é a principal ameaça à saúde, à produtividade e a qualidade de vida. As drogas, incluindo álcool e tabaco, faz com que 30 por cento de todos os americanos morram de forma prematura. Ali, o uso de drogas custa à economia nacional mais de cem bilhões por ano, isso não só com prevenção e tratamento, mas também com mãos de obra que deixam de serem utilizadas por serem vitimas das drogas.

Agora, perguntamos: Por que um perigo de tamanha magnitude comumente é ignorado em nossa sociedade? As respostas não são fáceis.

  • Primeiro, a maioria dos milhares de famílias que terão problemas por primeira vez este ano, experimentarão a tragédia em silencio, crendo que é o resultado de suas falhas pessoais e uma experiência vergonhosa e exclusiva.
  • Segundo muitas das principais opiniões médicas e políticas de nosso país, especialmente a comunidade intelectual, têm escrito sobre o problema das drogas como um assunto social curioso que deve ser relegado ao setor direitista de nossa sociedade.
  • Terceiro, o uso de drogas é tão comum que é difícil assimilar a devastação que está causando, visto que temos a tendência de perder o medo a qualquer coisa que vemos diariamente. Nos acostumamos.
  • Quarto, os problemas causados pela droga, tais como acidentes automobilísticos ou mortes por sobredose, em muitos casos, ocorrem depois de muito tempo de usar drogas. Além disso, desde a perspectiva do usuário, estes problemas são incertos e imprevisíveis. Se todos os usuários de cocaína tivessem uma sobredose fatal com pouco tempo de uso da droga, a cocaína desapareceria. Se qualquer bebedor (alcoólatra) sofresse uma cirrose do fígado em poucas semanas de haver começado a beber, se terminaria com o uso das bebidas alcoólicas. Porém, para o usuário de cocaína ou outra droga, uma morte por sobredose é imprevisível, retardada e não é tão comum. A mesma coisa com respeito à cirrose. "É um problema que pode acontecer com o outro, não comigo".
  • Quinto: Por último, existem muitos dependentes de drogas que parecem "seguir em frente". Usam drogas, desde heroína ao álcool, aparentemente sem efeitos negativos. Quer seja que estes indivíduos representem a maioria ou uma pequena minoria de todos os usuários, este grupo, aparentemente invulnerável, exerce uma poderosa atração para os potenciais usuários; sustentam a esperança de uma "viagem segura".

Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.