O turismo em Portugal: evolução e distribuição



Partes: 1, 2, 3, 4, 5
  1. Abreviaturas e Siglas
  2. Introdução
  3. Metodologia
  4. Aspectos gerais do fenómeno turístico em portugal
  5. A evolução do fenómeno turístico em portugal
  6. Os espaços de atracção turística em portugal
  7. Um caso particular: o turismo no algarve
  8. Conclusão
  9. Referências Bibliográficas

Abreviaturas e Siglas

CCRAl Comissão de Coordenação da Região do Alentejo

CCRAlg Comissão de Coordenação da Região do Algarve

CCRC Comissão de Coordenação da Região Centro

CCRLVT Comissão de Coordenação da Região de Lisboa e Vale do Tejo

CCRN Comissão de Coordenação da Região Norte

CE Comissão Europeia

CEE Comunidade Económica Europeia

CEG Centro de Estudos Geográficos

CPRN Comissão de Planeamento da Região Norte

DGDR Direcção Geral do Desenvolvimento Regional

DGT Direcção Geral de Turismo

ENATUR Empresa Nacional de turismo

EUA Estados Unidos da América

FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

FLUC Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

ICEP Instituto do Comércio Externo de Portugal

IEG Instituto de Estudos Geográficos

IGM Instituto Geológico e Mineiro

INE Instituto Nacional de Estatística

MCT Ministério do Comércio e Turismo

MPAT Ministério do Planeamento e da Administração do Território

NUTS Nomenclatura das Unidades Territoriais para fins Estatísticos

OCDE Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico

OMT/WTO Organização Mundial do Turismo

PIB Produto Interno Bruto

PROT Plano Regional de Ordenamento do Território

SEPDR Secretaria de Estado do Planeamento e Desenvolvimento Regional

SET Secretaria de Estado do Turismo

SET Secretaria de Estado do Turismo

SNPRCN Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza

TAP Transportes Aéreos Portugueses

TER Turismo em Espaço Rural

UE União Europeia

UL Universidade de Lisboa

UNESCO Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura

VAB Valor Acrescentado Bruto

WWW World Wide Web

Introdução

Este documento apresenta uma série de conclusões acerca do fenómeno turístico em Portugal, desde o seu aparecimento até à situação actual, por áreas geográficas e tipo de recursos.

Ainovação é sinónimo de produzir, assimilar e explorar com êxito a novidade nos domínios económico e social. A inovação traz consigo soluções inéditas para os problemas e permite responder às necessidades das pessoas e da sociedade.

O contrário da inovação é "o arcaísmo e a rotina". Assim se explica que a inovação encontre tantos obstáculos e esbarre em tão fortes resistências. Por isso, também, o desenvolvimento e a partilha da inovação se transformaram numa aposta capital para as sociedades actuais.

Os papéis que a inovação desempenha são múltiplos. Enquanto força motriz, arrasta consigo as empresas em direcção a objectivos ambiciosos inscritos no longo prazo. É ela que conduz à renovação das estruturas industriais e é ela que dá origem a novos sectores de actividade económica.

O sector do turismo não foge à regra, pois num mundo em constante mudança, as empresas têm que estar atentas e não deixarem fugir oportunidades.

No âmbito da cadeira de Turismo e Inovação do Mestrado em Inovação e Políticas de Desenvolvimento foi atribuído um tema para a realização de um trabalho prático que abordasse um assunto que se inserisse no âmbito daquela disciplina.

O tema escolhido foi a caracterização espaço-temporal do fenómeno turístico em Portugal e a sua relação com a produção científica efectuada sobre a mesma actividade.

O turismo é uma das principais actividades económicas do mundo de hoje, mesmo tendo em conta a diversidade de contextos geográficos, políticos e socio-económicos. Organizado de um modo regular a partir da segunda metade do século passado, tornou-se num dos sectores-chave da economia de um grande número de países, justificando em maior ou menor grau numerosas actividades, entre as quais a construção civil e obras públicas, os transportes, a agro-pecuária e os serviços. Paralelamente os efeitos directos nos campos social e cultural são indiscutíveis, tal como no domínio das relações internacionais e mercado externo.

Assim o presente trabalho, abordando o tema de forma inédita, baseando-se em duas dimensões (espaço e tempo), pretende relacionar, com base nos meios disponíveis, todos os elementos inerentes à evolução e distribuição espacial do fenómeno turístico em Portugal, com uma pequena alusão e relação com o conjunto de obras e artigos editados no âmbito do turismo, começando por apresentar os aspectos gerais referentes à actividade turística em Portugal, seguindo-se o estudo da evolução do fenómeno turístico em Portugal, desde a sua aparição até à actualidade. Por último far-se-á um estudo dos vários espaços de atracção turística que caracterizaram o turismo português ao longo da sua existência e dos problemas que mais o afectam.

Partes: 1, 2, 3, 4, 5

Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.