"Você é o que você come" Aspectos da subsistência no Sambaqui do Moa – Saquarema/RJ



Partes: 1, 2, 3, 4

  1. Resumo
  2. Introdução
  3. Revisão bibliográfica - sambaquis
  4. A alimentação como um aspecto cultural (formulação do problema)
  5. Objetivos e justificativa
  6. Caracterização ambiental
  7. O sambaqui do moa
  8. A fauna no contexto arqueológico/ análise do material faunístico
  9. Discussão e considerações
  10. Conclusões
  11. Perspectivas de estudos futuros
  12. Anexos
  13. Bibliografia citada

RESUMO

A presente tese consiste no estudo do Sambaqui do Moa - Saquarema/RJ, com enfoque na questão da alimentação e suas relações com o sistema sociocultural dos grupos que o habitaram, tendo como objetivo utilizar a alimentação como mais um componente para entender aspectos da identidade sociocultural dos grupos sambaquieiros. Foram utilizados procedimentos que podem ajudar na compreensão e na interpretação de dados obtidos através de estudos zooarqueológicos que visem resgatar aspectos culturais, além de contribuir no enfoque metodológico. Os resultados apontam para a predominância das atividades de pesca em relação a coleta de moluscos e à caça corroborando com o modelo proposto por Figuti (1994/5), sobre as estratégias de subsistência dos grupos sambaquieiros.

Palavras Chave: Alimentação; Sambaqui; Saquarema/RJ; Zooarqueologia; Salvamento; Arqueologia pré-histórica.

INTRODUÇAO

Inicialmente, o projeto de tese foi elaborado com o objetivo de realizar pesquisa arqueológica nos sambaquis litorâneos da região do Salgado, no estado do Pará. Para tanto, havíamos feito levantamento bibliográfico e realizado prospecções arqueológicas na referida área e até mesmo definido o sítio a ser escavado.

Transcorridos 2 anos e meio do doutorado, nos vimos forçadas, devido a problemas de ordem financeira (falta de verbas para realização da pesquisa), a trocar de área de estudo, desta vez para a Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro, onde vem sendo desenvolvido, há vários anos, um projeto de pesquisa coordenado pela Dra. Lina Kneip, que nos convidou para realizar um trabalho de salvamento em um sambaqui.

Sendo assim, tivemos que elaborar um novo projeto de pesquisa, redirecionando o levantamento bibliográfico e realizando também o reconhecimento da área em questão.

Devido a essa série de mudanças, e a conseqüente redução do tempo para o desenvolvimento das pesquisas, triagem e análise de todo o material coletado durante a escavação, nos limitamos a analisar uma seleção de amostras que no nosso entendimento são significativas e representativas do material coletado.

Trabalhamos, desde o mestrado, enfocando a questão da alimentação. Para nós a alimentação é um aspecto importante no estudo de uma identidade cultural. O que comemos, quando, como e com quem comemos, determinam aspectos relevantes da nossa cultura, inclusive aspectos biofísicos. Ou seja, além dos aspectos ligados exclusivamente a cultura material, a forma de processar e consumir os alimentos permite identificar outros elementos característicos de uma determinada cultura.

Pensando desta forma, ou seja, na alimentação como parte da identidade cultural de um grupo/sociedade é que surgiu o título deste trabalho: "você é o que você come". Em culturas distante no tempo e/ou no espaço, como podem ser alguns grupos indígenas sul americanos (Wari, Zoró, Tukano, entre outros), e até mesmo aqueles que adotam a macrobiótica, essa máxima é verdadeira , isto é, identificam-se, grosso modo, pelo que comem.

Seguindo esta linha de pensamento, procuramos neste trabalho, identificar, em linhas gerais, as preferências/escolhas alimentares da população que viveu no sambaqui do Moa, a cerca de 3.500 anos atrás e a partir daí testar o modelo proposto por Figuti (1994-95).

Apresentamos a seguir um breve resumo de cada capítulo da tese:

Capítulo I - Revisão bibliográfica sobre sambaquis: Começamos este capítulo com uma visão mais geral/mundial da cultura sambaquieira e, logo em seguida, apresentamos, resumidamente, os dados disponíveis sobre a cultura sambaquieira no Brasil. Depois, com mais detalhes, apresentamos o histórico das pesquisas realizadas na região dos lagos, com ênfase nos sambaquis de Saquarema.

Capítulo II – A Alimentação como um aspecto cultural. Este capítulo constitui-se na formulação do problema. Nele explicamos a escolha do tema e colocamos, além de nossas idéias, os trabalhos que nos serviram de referência e as questões que fundamentaram a elaboração desta tese.

Partes: 1, 2, 3, 4

Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.